A SHV Energy é mais uma empresa que se juntou ao Programa Corporativo de Biocombustíveis da KLM (KCBP). Ao fazer isso, a SHV Energy reduzirá as emissões de CO2 de sua sede em 50%. Além disso, a Universidade de Tecnologia de Delft (TU Delft) estendeu sua participação no KCBP por um período adicional de dois anos, tendo entrado no programa pela primeira vez em 1º de julho de 2017.

“Graças aos participantes do nosso Programa Corporativo de Biocombustíveis, incluindo SHV Energy e TU Delft, será possível alcançar um enorme progresso em termos de desenvolvimento do mercado de combustível sustentável de aviação. Além disso, essas duas organizações também cooperam com a KLM em diferentes áreas da sustentabilidade, respectivamente construindo a primeira planta de produção da Europa para biocombustível em Delfzijl e desenvolvendo um novo e inovador conceito de aeronave com eficiência energética, conhecido como Flying V”, afirma Harm Kreulen, diretor administrativo da KLM Holanda.

“A participação no Programa Corporativo de Biocombustíveis da KLM ressalta a decisão estratégica da SHV Energy de contribuir ativamente para o desenvolvimento e produção de energia sustentável. Nesse contexto, também estamos investindo na primeira instalação europeia de combustível sustentável de aviação e bioLPG em Delfzijl, anunciada em conjunto com SkyNRG e KLM no início deste ano”, afirma Bram Gräber, CEO da SHV Energy.

“A TU Delft está comprometida em encontrar soluções sustentáveis ​​para a aviação, em grande parte em cooperação com a KLM em diferentes campos, desde combustível até design de aeronaves. Ao participar do Programa Corporativo de Biocombustíveis da KLM, podemos contribuir para tornar possível o uso de inovações sustentáveis ​​em aeronaves. Em 2018, nossa contribuição reduziu efetivamente as emissões de CO2 em nossos voos em 19%. Dessa forma, estamos orgulhosos de construir um futuro sustentável, lado a lado com a KLM e a SkyNRG”, reforça Rob Mudde, vice-reitor e vice-presidente da TU Delft.

Sobre o Programa Corporativo de Biocombustíveis da KLM (KCBP)
O Programa Corporativo de Biocombustíveis da KLM (KCBP) possibilita às empresas alimentar uma parte de seus voos usando combustível sustentável de aviação (SAF). Os participantes pagam uma sobretaxa que cobre a diferença de preço entre o SAF e o combustível tradicional. Por sua vez, as sobretaxas são usadas para comprar o SAF.

Mas por que o programa é tão importante?
Devido à capacidade de produção insuficiente e disponibilidade concomitante de matéria-prima sustentável, o SAF é escasso. O uso do SAF pode reduzir as emissões de CO2 em até 85%. A KLM está convencida de que tal combustível é importante a curto e médio prazo, a fim de alcançar a redução nas emissões de CO2 prevista dela indústria da aviação. Por esse motivo, a KLM, a SkyNRG e a SHV Energy anunciaram em maio deste ano que uniriam forças para construir a primeira planta de produção SAF europeia em Delfzijl, na Holanda. Até 2022, a planta estará produzindo 100.000 toneladas de SAF e, como subproduto, 15.000 toneladas de bioLPG por ano.

Sobre a iniciativa “Voe com Responsabilidade”
A iniciativa “Voe com Responsabilidade” representa o compromisso da KLM em criar um futuro sustentável para o transporte aéreo. Ele incorpora todos os esforços atuais e futuros da KLM para melhorar a sustentabilidade de suas atividades. Mas o verdadeiro progresso só pode ser alcançado se todo o setor cooperar. A KLM convida os clientes a optarem pelos serviços de compensação de CO2, enquanto as empresas são convidadas a compensar as viagens de negócios por meio do Programa Corporativo de Biocombustíveis da KLM.


Participantes
Em 2019, o KCBP une as seguintes empresas e instituições: ABN AMRO, Accenture, Arcadis BV, Arcadis NV, Amsterdam Municipality, Loyens & Loeff, Controle de Tráfego Aéreo na Holanda (LVNL), Microsoft, Ministério da Infraestrutura e Meio Ambiente, Centro Aeroespacial Holandês (NLR), PGGM, Grupo Schiphol, SHV Energy e TU Delft.