Lufthansa Boeing 747-8 Alemanha
Foto: Lufthansa

A Lufthansa vai enfrentar mais uma greve de seus funcionários, agora por parte dos funcionários de solo. O sindicato dos funcionários da companhia aérea convocou cerca de 20 mil pessoas para o ato nesta quarta-feira (27).

O ato acontecerá segundo o sindicato como forma de alerta, será realizada da madrugada do dia 27, às 03h45 da manhã até a manhã da quinta-feira (28) às 06h00 da manhã. 

A Lufthansa disse através do membro do conselho executivo, Michael Niggemann, disse que já vinha negociando desde antes do mês de julho e ofereceu aumento e outros benefícios. 

“Após apenas dois dias de negociações, o sindicato anunciou uma greve que dificilmente pode ser chamada de greve de alerta devido à sua amplitude em todos os locais e sua duração. Isso é ainda mais incompreensível, já que o lado do empregador ofereceu aumentos salariais altos e socialmente equilibrados – apesar da situação econômica tensa da Lufthansa após a crise do Covid, altos encargos da dívida e perspectivas incertas para a economia global.”

“Após os enormes esforços para estabilizar nossas operações de voo, isso representa um fardo renovado, substancial e desnecessário para nossos passageiros e também para nossos funcionários além do dia da greve”.

A companhia aérea disse que ofereceu: 

  • Aumento da base salarial em 150 euros por mês a partir do dia 1º de julho;
  • Aumento da base salarial em 100 euros por mês a partir de 1º de janeiro de 2023;
  • A depender da situação financeira da Lufthansa, aumento de 2% na remuneração a partir de 1º de julho de 2023.

O sindicato dos funcionários da Lufthansa e os diretores da companhia estão com reuniões marcadas para os dias 3 e 4 de agosto.

 

 

Com informações do World Airline News