Foto: Marinha do Brasil
O Grupo-Tarefa, formado por seis meios da Esquadra brasileira, suspendeu na manhã desta quinta-feira (14) em direção à região Sul do País. A previsão é que sejam sete dias de mar até o porto de Itajaí (SC). Neste período, os Aspirantes embarcados irão cumprir um cronograma de tarefas que os permitirá conhecer as diversas seções e atividades desenvolvidas nos navios.
 
Sob o comando do Comandante da 2ª Divisão da Esquadra (ComDiv-2), Contra-Almirante Eduardo Augusto Wieland, os meios participantes da “Aspirantex/2021” realizarão diversos exercícios, de caráter estritamente militar-naval, como manobras táticas simuladas; exercícios de tiro de superfície e antiaéreo; trânsitos sob ameaças aéreas, de superfície e submarino; e outras tarefas relacionadas à manutenção e aprestamento dos meios. “Neste ano, pela primeira vez, as Aspirantes poderão optar pelo Corpo da Armada e de Fuzileiros Navais, podendo, em um futuro próximo, pilotar uma aeronave ou mesmo comandar navios e grupamentos operativos de fuzileiros”, declarou o Comandante do Grupo-Tarefa.
 
Foto: Marinha do Brasil
 
Neste primeiro dia de mar, os Aspirantes a bordo do Navio-Aeródromo Multipropósito (NAM) “Atlântico” acompanharam exercícios de Qualificação e Requalificação de Pouso a Bordo (QRPB), realizados pelos Esquadrões HU-2 e HS-1 no convoo do navio. Embarcados nas aeronaves “Super Cougar” (UH-15) e “Seahawk” (SH-16), os futuros Oficiais observaram de perto o trabalho dos pilotos navais e tiraram dúvidas sobre a Força Aeronaval. Essa experiência vai auxiliar o Aspirante Sfredo a definir sua escolha. “Tenho familiares que são pilotos e sempre tive vontade de aprender mais sobre a área. Quero aproveitar muito essa oportunidade que a ‘Aspirantex’ está oferecendo”, declarou.
 
Na Corveta “Barroso”, os Aspirantes foram recepcionados no portaló pelo Capitão de Fragata Erico, Imediato do navio, e receberam as boas-vindas do Comandante do navio, Capitão de Fragata Komatsu. No período de embarque, os futuros Oficiais poderão acompanhar o serviço com Oficiais no Passadiço e no Centro de Operações de Combate, além de participar da rotina do navio, adquirir experiências e tirar dúvidas sobre o Corpo da Armada.
 
Fonte: Marinha do Brasil

DEIXE UMA RESPOSTA