F-35 USAF Alemanha Europa
Um F-35A dos EUA taxiando na Base Aérea de Spangdahlem. Os caças stealth dos EUA estão operando naquele base desde fevereiro de 2022. Foto: OTAN/Divulgação.

Holanda e Estados Unidos juntaram forças na região do Mar Negro e estão operando seus caças stealth F-35A Lightning II em conjunto. 

No dia 30 de maio, os F-35 da Força Aérea dos EUA (USAF), implantados na Base Aérea de Spangdahlem, na Alemanha, voaram uma missão de longo alcance para a Bulgária em apoio às atividades de vigilância da OTAN no flanco oriental.

F-35 Holanda Bulgária
Caças F-35A da Holanda estão desdobrados na Bulgária como parte do reforço da OTAN no Leste Europeu. Foto: Força Aérea Real da Holanda/OTAN.

Uma vez na região, eles se integraram com os F-35 da Força Aérea Real Holandesa (RNLAF), baseados na Bulgária sob a missão de policiamento aéreo aprimorado da OTAN. Os F-35 da USAF pousaram na Base Aérea Graf Ignatievo, Bulgária, permitindo-lhes aumentar seu alcance e autonomia sobre o Mar Negro.

“A capacidade de alavancar as capacidades avançadas fornecidas pelas aeronaves aliadas de 5ª geração é fundamental para aumentar a consciência situacional da OTAN e fortalecer nossa postura defensiva nesta importante região”, disse o General-Brigadeiro Christoph Pliet, vice-chefe de operações do Estado-Maior. “As aeronaves da Aliança operam rotineiramente juntas na região do Mar Negro para aprimorar as habilidades de comunicação e melhorar a interoperabilidade para futuras missões”.

Segundo o Comando Aéreo Aliado da OTAN, os caças de quinta geração americanos e holandeses voaram dentro do espaço aéreo búlgaro. A realização de operações de rotina e o exercício de liberdade de navegação e sobrevoo são fundamentais para a capacidade da OTAN de reforçar a defesa coletiva e garantir a segurança dos seus membros na região, destaca o Comando. 

F-35 holanda
Caças F-35A da Holanda Foto: RNLAF.

As operações fazem parte da resposta da OTAN à invasão russa na Ucrânia. Antecipando o início do conflito que ultrapassa os 100 dias, a aliança militar liderada pelos EUA vem gradativamente reforçando sua posição no leste Europeu desde o final de 2021. Com o início da guerra, mais e mais aeronaves de combate tem operado naquela região.