Aeronave da Avianca Brasil no Aeroporto de Guarulhos.

Depois da Elliott e a GOL terem entrado com um recurso na justiça nesta segunda-feira (20/05), contra a compra de slots da Avianca Brasil pela Azul, outras credoras da Avianca Brasil também se pronunciaram na justiça.

A Air BP, uma empresa distribuidora de combustíveis, é mais uma das empresas que vai contra às decisões da Elliott na justiça, além das alegações apresentadas pela Swissport e pela BR Aviation antes do leilão de ativos da Avianca Brasil.

A Avianca Brasil tem uma dívida de R$ 22,5 milhões com a Air BP, valor semelhante à dívida da Swissport e também da BR Aviation.

De acordo com a Air BP, a empresa não recebeu nenhum valor repassado pelas companhias Latam, GOL e Azul para a manutenção das operações da companhia, enquanto isso a empresa acusou a Avianca Brasil de não utilizar uma conta em juízo durante a recuperação judicial, e que os aportes eram repassados diretamente para a Elliott.

“Escancaravam o pagamento indevido e antecipado de um credor concursal, sem que haja justificativa razoável para esse pagamento, negociado fora do PRJ (plano de recuperação judicial) e às escondidas dos demais credores”, disse a Air BP no seu recurso no TJ-SP.

Isso aponta que a Elliott está agindo juntamente com a GOL e a LATAM para possibilitar que ela receba o valor devido antes das outras empresas, de acordo com as alegações da Air BP na justiça.

Assim como no recurso da Swissport, a Air BP alega que não há prioridade dos fornecedores da empresa no processo de Recuperação Judicial, isso pode resultar em um novo processo judicial a ser aprovado futuramente.

Todos os recursos devem ser analisados no dia 10 de junho.