Foto - Divulgação/Infraero
O governador Carlos Massa Ratinho Junior e o secretário nacional de Aviação Civil, Ronei Glanzmann, anunciaram que a ampliação da pista do Aeroporto Internacional de Foz do Iguaçu (Cataratas) será feita antes da concessão para a iniciativa privada. A notícia foi comemorada pelo prefeito Chico Brasileiro.
 
“Hoje o turismo é o grande carro chefe da nossa economia, e a conectividade aérea permite uma expansão extraordinária no número de visitantes. A ampliação da pista do aeroporto é imprescindível para o sucesso desse projeto. Foz quer dobrar a capacidade de embarques e desembarques nos próximos três anos. Com os novos investimentos, o aeroporto pode se tornar um grande hub da América do Sul”, avaliou Chico Brasileiro.
 
A obra de ampliação da pista de pouso e decolagem, dos atuais 2.195 metros para 2.795 metros de extensão, permitirá voos sem escala para Estados Unidos e países europeus a partir de 2021.
 
A pista deverá receber uma camada de revestimento especial chamado SMA (Stone Matrix Asphalt), possibilitando um ganho de performance de aproximadamente 20%, o que garantirá um desempenho igual ou superior do terminal argentino, que tem uma pista com 3.300 metros de extensão.  
 
O investimento será de R$ 70 milhões com recursos disponibilizados pela Infraero. A expectativa é que a nova pista aumente em até cinco vezes a movimentação de visitantes na cidade. “Não é aceitável que o nosso cartão-postal não tenha um aeroporto com voos internacionais. Desde janeiro, estamos batendo nessa tecla da ampliação da pista antes mesmo da concessão, que vai acontecer no final de 2020”, explicou o governador Ratinho Junior. “Dessa maneira, conseguimos convencer a Infraero e a Secretaria de Aviação Civil da necessidade de antecipar a construção da nova pista”.
 
A Infraero vai se debruçar sobre as licenças e readequações nos próximos seis meses para acelerar a licitação e até dezembro de 2020 ou no primeiro trimestre de 2021 a nova pista poderá ser inaugurada. O aeroporto também subirá de categoria para a concessão e valerá mais de R$ 1 bilhão, além de receber novos equipamentos.
 
“Conectividade aérea é a palavra-chave para conquistarmos novos mercados e para garantirmos sustentabilidade aos atrativos, rede hoteleira, restaurantes e toda a nossa indústria do turismo”, destacou o secretário de Turismo, Indústria, Comércio e Projetos Estratégicos, Gilmar Piolla. 
 
 “Já temos voo direto pra Lima. E até o final do ano teremos voo direto para Santa Cruz de la Sierra. Agora estamos negociando voos diretos para Santiago do Chile e outros destinos da América do Sul. Com ampliação da pista, podemos sonhar mais alto e formar aqui em Foz do Iguaçu um hub do cone sul e países andinos”, afirma Piolla.
 
 
Via – Prefeitura de Foz do Iguaçu