SH-16 disparando o míssil antinavio AGM-119. Foto: Marinha do Brasil.

Durante a Comissão MISSILEX II, realizada entre 20 e 26 de junho, o 1° Esquadrão de Helicópteros Antissubmarino (EsqdHS-1) da Marinha do Brasil realizou o disparo de um míssil antinavio AGM-119 Penguin a partir de um SH-16 Seahawk contra o casco da ex-Corveta “Jaceguai”. A embarcação desativada também foi atingida por um míssil Exocet disparado de um AH-15B Super Cougar. 

Míssil AGM-119 Penguin. Foto: Marinha do Brasil.

Segundo a MB, o evento ocorreu no dia 24 de junho, quando a aeronave SH-16 Seahawk (N-3033) foi armada a bordo do Navio Doca Multipropósito (NDM) “Bahia” pelas Praças da Divisão de Armamento do EsqdHS-1. Após o lançamento em um voo de 1min40, o míssil atingiu a alheta de boreste do casco da ex-Corveta “Jaceguai”, navio alvo, que foi a pique 7 minutos após o impacto, mostrando a letalidade da Aviação Naval.

Ex-Corveta Jaceguai afundando após ser atingida por mísseis Penguin e Exocet. Foto: Marinha do Brasil.
As aeronaves SH-16 Seahawk são empregadas em proveito das Forças Navais, na “Amazônia Azul”, com a capacidade de realizar tarefas de detecção, localização, acompanhamento, identificação e ataque a alvos de superfície e submarinos. Suas características de projeto, robustez e confiabilidade lhe conferem a capacidade de atuar em ações de busca e salvamento e evacuação aeromédica.
 
Via Marinha do Brasil.

DEIXE UMA RESPOSTA