Clique Aqui e receba as principais Notícias da Aviação em tempo real diretamente no seu Whatsapp ou Telegram.

FAB

O 10º Simpósio de atualização dos Projetos KC-390 e FX-2 aconteceu nessa quarta (6) e quinta-feira (7) em Brasília (DF). O evento, promovido pelo Estado-Maior da Aeronáutica (EMAER), reuniu os principais atores envolvidos nos processos de desenvolvimento e aquisição das novas aeronaves da Força Aérea Brasileira (FAB), a fim de nivelar conhecimentos e facilitar a coordenação e padronização das ações.

Na oportunidade, o Chefe do Estado-Maior da Aeronáutica, Tenente-Brigadeiro Ar Marcelo Kanitz Damasceno, ressaltou que os dois projetos, o KC-390 e o FX-2, são fundamentais para a Força Aérea e também para o Brasil. “Eles trarão capacidades que habilitarão a FAB a atuar no moderno cenário geoestratégico com seus desafios complexos, garantindo a soberania da pátria e a integração do território nacional, além de estimular a indústria do País, gerando empregos de alto valor”, reforçou.

Segundo o Chefe da Sétima Subchefia do Estado-Maior da Aeronáutica, Brigadeiro do Ar Roberto da Cunha Follador, o objetivo do Simpósio é manter o fluxo de informações relevantes entre todos os Órgãos de Direção Setorial (ODS) envolvidos, minimizando ocorrências que poderiam impactar projetos fundamentais para uma Força Aérea moderna.

“Durante o evento, as diversas gerências apresentaram os acontecimentos e óbices a serem superados, nas suas áreas de atuação, como logística, operacional, técnica e de desenvolvimento, todas sob coordenação da gerência executiva da Comissão Coordenadora do Programa Aeronave de Combate [COPAC] e sob supervisão da Sétima Subchefia do EMAER”, acrescentou o Brigadeiro Follador.

Participam do Simpósio representantes do Comando de Preparo (COMPREP), do Comando de Operações Aeroespaciais (COMAE), do Comando-Geral do Pessoal (COMGEP), do Comando-Geral de Apoio (COMGAP), do Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial (DCTA) e Departamento de Controle do Espaço Aéreo (DECEA). Durante os dois dias, os militares debateram como está o andamento das ações que precisam ser tomadas por diversas Organizações Militares da FAB pelo País.

DEIXE UMA RESPOSTA