Embraer Eve + Wideroe Zero
Foto: Embraer

A Eve Urban Air Mobility Solutions, Inc. (Eve), uma empresa da Embraer, e a Widerøe Zero assinaram um Memorando de Entendimento (MoU, na sigla em inglês). Esta parceria visa desenvolver soluções de Mobilidade Aérea Urbana (UAM, na sigla em inglês), com foco na implantação de operações de eVTOL na Escandinávia.

O relacionamento entre as duas organizações começou em 2017, quando a Widerøe assinou um pedido de até 15 E190-E2. A maior companhia aérea regional da Escandinávia também é o primeiro cliente da nova geração da família E-Jets E2, iniciando as operações do E190-E2 em abril de 2018, em Bergen, na Noruega.

Agora, com a criação da Incubadora de Negócios de Mobilidade Aérea, a Widerøe Zero, as empresas usarão o veículo eVTOL de emissão zero e baixo nível de ruído para desenvolver um novo conceito de operação, em que os passageiros experimentarão o futuro do transporte elétrico e um novo modelo de mobilidade sustentável, conectando pessoas que vivem em uma região pouco povoada e com geografia montanhosa.

Como parte dessa colaboração, a Widerøe Zero contribuirá com um exercício de disponibilidade de mercado e um estudo de conceito de operação de veículo na Escandinávia, promovendo o desenvolvimento da Eve no mercado de UAM na região.

Beneficiando-se de uma mentalidade de startup e respaldadas pela história de mais de 50 anos da Embraer na fabricação de aeronaves e expertise em certificação, a Eve tem uma proposta de valor única ao se posicionar como uma parceira de ecossistema, oferecendo um conjunto de produtos e serviços com os mais altos níveis de padrões de segurança. O design do eVTOL da Eve, centrado no ser humano, combina inovação revolucionária com um design simples e intuitivo.

Além do programa de aeronaves, a Eve está aproveitando a expertise da Embraer e da Atech, uma subsidiária do Grupo Embraer, no fornecimento de software de gerenciamento de tráfego aéreo reconhecido mundialmente, para criar as soluções que ajudarão a dimensionar com segurança a indústria de UAM no futuro.

Via: Embraer 

DEIXE UMA RESPOSTA