Foto: Shaun Psaila/Military Aviation Reachout.

Dois A-29B Super Tucano da Força Aérea do Turcomenistão foram registrados em 28 de maio no Aeroporto Internacional de Luqa, em Malta, por Shaun Psaila do Military Aviation Reachout

Ostentando as matrículas civis PT-ZHI e PT-ZHJ, com as insígnias militares cobertas, os dois turboélices da Embraer foram fotografados durante uma das pernas do voos de traslado do Brasil para o país na Ásia Central. 

Foto: Shaun Psaila/Military Aviation Reachout.

Segundo a Scramble Magazine, o Turcomenistão e a Embraer estariam em conversas para fechar um contrato de seis A-29 desde 2019, fato que as duas partes negam. O portal também publicou os registro do PT-ZHI em São José dos Campos (SP) no final do ano passado. 

O levantamento World Air Forces 2021 da Flightglobal aponta que o Turcomenistão tem 24 caças Mikoyan-Gurevich MiG-29 Fulcrum e 20 jatos de ataque Sukhoi Su-25 Frogfoot em serviço na sua força aérea, além de helicópteros Mi-8 Hip e Mi-24 Hind e aeronaves de transporte da Antonov. 

Foto: Shaun Psaila/Military Aviation Reachout.

Desenvolvido pela Embraer junto com a Força Aérea Brasileira, o A-29 Super Tucano é uma aeronave de ataque leve treinamento. Motorizado por um Pratt & Whitney Canada PT6A-68, o avião porta duas metralhadoras FN M3P calibre .50 BMG além de cinco pontos duros (um na fuselagem e dois em cada asa) para carregar bombas, foguetes, mísseis ar-ar ou casulos de canhão. 

O A-29 está em serviço em múltiplos países incluindo Colômbia, Afeganistão, Estados Unidos, Indonésia, Filipinas e outros. No Brasil, ele é empregado na formação de pilotos de caça pelo Esquadrão Joker, na patrulha de fronteiras e formação de líderes de esquadrilha de caça nos Esquadrões Flecha, Grifo e Escorpião e em demonstração aérea pela Esquadrilha da Fumaça.