• Instagram
  • Feed
  • Telegram
  • Youtube

Tempestade Isha causa mais de 100 cancelamentos de voos

Mais de 1000 voos cancelados na Alemanha devido à greve
Mais de 1000 voos cancelados na Alemanha devido à greve

A tempestade Isha fez com que dezenas de voos se desviassem no fim de semana, sendo que muitos destes tiveram que pousar na Europa continental. A tempestade – que cobriu a maior parte do Reino Unido – forçou o cancelamento de mais de 100 voos e muitos atrasos.

Dublin com mais de 160 voos cancelados

Isso afetou particularmente a Ryanair, pois seu hub, em Dublin (DUB), viu mais de 160 cancelamentos de voos e obteve diversos outros desvios, de acordo com Kevin Cullinane, chefe do grupo de comunicações da DAA, a operadora do aeroporto de Dublin.

O aeroporto também registrou 36 desvios de voos e 34 aviões foram obrigados a arremeter – quando os pilotos optam por abortar o procedimento de pouso.

Um voo da Ryanair de Lanzarote, nas Ilhas Canárias, para Dublin, quase chegou até à capital irlandesa, antes de dar meia volta e desviar-se para Bordeaux, na França, sem tentar aterrar:

Heathrow e Dublin foram os piores atingidos

O Aeroporto de Londres Heathrow (LHR) e o Aeroporto de Dublin (DUB) estão entre os aeroportos mais afetados pela tempestade. Em Heathrow, ocorreram mais de 110 cancelamentos e 155 atrasos no domingo, sendo que só British Airways cancelou cerca de 80 voos.

De acordo com a CNN, Steve Fox, chefe de operações de rede da NATS, disse: “Isha fez sentir sua presença no sul da Inglaterra e na Irlanda, onde os ventos estavam com rajadas de 70-75 mph, a sudoeste, o que significava ventos cruzados em nossos principais aeroportos no sul, com tesoura de vento e turbulência adicionando desafios extras para as tripulações de voo.”

Um voo da Ryanair, de Manchester para Dublin, tentou aterrar, mas teve que fazer um desvio, sendo enviado para o aeroporto de Beauvais, em Paris.  Igualmente, um outro voo Manchester-Dublin percorreu entre o Reino Unido e a Irlanda durante mais de três horas. O piloto tentou aterrar em Belfast, mas teve que fazer um desvio, circulando sobre Glasgow antes de aterrar em Liverpool – apenas 50km de distância do aeroporto de partida.

Já o FR816, que devia fazer o voo de uma hora de Shannon para Edimburgo, voou até à Escócia e depois foi desviado para Colonia, na Alemanha:

FR816. Via: Flight Tracker Map. Flightradar24.

FR816. Via: Flight Tracker Map. Flightradar24.

Arremeter – procedimento de segurança 

Apesar de parecer assustador, o procedimento visa garantir a segurança. É evidente que os transtornos são enormes, principalmente quando envolvem um número elevado de voos e passageiros, mas é importante ressaltar que isto é normal.

Um piloto que pousou em Londres Heathrow e teve que lidar com ventos de quase 104 mph a 3.000 pés, disse à CNN: “Colocar a aeronave no solo em segurança é um enorme esforço de equipe em circunstâncias como ontem. (…) Tudo faz parte de um dia de trabalho para um piloto de linha aérea. Treinamos para esses eventos extremos e planejamos o sucesso, mas também consideramos nossas contingências em grande detalhe. Ontem permitimos combustível suficiente para uma abordagem adicional, se necessário, retenção extra e até mesmo um desvio para um aeroporto onde o vento não era tão agudo.”

 

Quer receber nossas notícias em primeira mão? Clique Aqui e faça parte do nosso Grupo no Whatsapp ou Telegram.