Top Gun Maverick
Caças F/A-18E e F/A-18F Super Hornet foram preparados para serem usados no filme de Tom Cruise. Imagem: Paramount

Fazer um filme não é fácil, especialmente um que precisa de caças supersônicos como Top Gun: Maverick. Após vários adiamentos, o filme de Tom Cruise chegou aos cinemas no final de maio e mais e mais detalhes sobre os bastidores estão surgindo. Um dos últimos foi uma publicação da própria Marinha dos EUA, contando como preparou seus caças F/A-18 Super Hornet para as gravações. 

Três F/A-18 foram pintados para o filme e um deles, um F/A-18F Super Hornet de dois assentos, ainda recebeu um conjunto de câmeras especiais, montado sobre o painel do assento traseiro. 

Super Hornet Top Gun Maverick

Um dos F/A-18 Super Gornet usados no filme. Foto: Bruce Taylor

O trabalho de pintura e instalação do conjunto audiovisual (A/V) foi liderado pelo Fleet Readiness Center Southwest (FRCSW), um centro de manutenção da Marinha com sede na Estação Aeronaval (NAS) North Island, em San Diego. A organização é subordinada ao Comando de Sistemas Aeronavais. 

“Quando chegou a hora de começar a instalar o equipamento do cockpit A/V e a equipe de produção estava em nosso primeiro local na NAS Lemoore, tivemos reuniões com o diretor e alguns dos produtores, incluindo Tom Cruise. Ele estava muito apaixonado por fazer deste o maior filme de aviação de todos os tempos”, disse Jonathan Ramba, chefe do departamento de engenharia de MRO (Manutenção, Reparo e Revisão) do F/A-18, que supervisionou a instalação.

“A equipe de produção usou novas câmeras Sony Venice 6K que pesavam cerca de oito libras [3,6 kg] com uma lente. O diretor de fotografia queria que quatro delas fossem instaladas no assento traseiro, mas optou por três corpos de câmera completos montados e um bloco de sensor, que atuou como uma quarta câmera. Dito isto, o peso total do equipamento era de cerca de 40 libras [18,14 kg]”

Top Gun Maverick Super Hornet Câmeras
Esquema das câmeras IMAX montadas no cockpit do F/A-18F Super Hornet. Imagem: The American Society of Cinematographers.

O envolvimento de Ramba com as filmagens começou em julho de 2018, com uma ligação do Escritório do Programa F/A-18 e EA-18G (PMA-265) pedindo à equipe de suporte da frota F/A-18 da FRCSW para acomodar uma visita da equipe de produção do Top Gun. Ele conta que na época era líder de engenharia de estruturas para os F/A-18 e EA-18. “Então fui encarregado de liderar este projeto”, observou Ramba.

Cerca de duas semanas depois, ele viajou para NAS Lemoore para discutir a instalação e localização das câmeras no interior e no exterior da aeronave. Ele desenvolveu uma proposta e trabalhou com o Naval Air Systems Command (NAVAIR) para estabelecer a ação necessária para aprovação. 

As filmagens estavam programadas para começar no final de setembro de 2018, e uma verificação de ajuste teve que ser concluída aproximadamente duas semanas antes disso.  

Sabendo que o esforço exigia uma equipe de alto nível para cumprir os prazos, Ramba recrutou o engenheiro aeroespacial Tony Pacheco por sua experiência em design e o chefe da divisão de análise estrutural do F/A-18A-F e EA-18G, Manny Hernandez, para lidar com a análise de estresse.

Para avaliar a viabilidade dos requisitos de montagem da câmera da equipe de produção, Pacheco viajou para a FRC West para adaptar o Super Hornet fornecido pelo esquadrão VFA-122 Flying Eagles. 

“Depois que todas as montagens foram projetadas e aprovadas para uso pelo Engenheiro de Certificação de Aeronavegabilidade do PMA-265 (ACE), coordenei com oficinas terceirizadas designadas pela Paramount Studios para que todas as peças fossem usinadas de acordo com as especificações e entregues à equipe de produção”, ele disse.

“Em última análise, todas as montagens projetadas se encaixam perfeitamente e todos os equipamentos de filmagem foram instalados com sucesso. Depois de um voo agitado, Tom Cruise fez um voo de teste rápido e foi determinado que toda a montagem funcionava perfeitamente.”

Top Gun Maverick
Foto: Paramount Brasil/Reprodução

Em seguida, para obter uma Autorização de Voo Provisória (IFC), Pacheco desenvolveu desenhos para refletir a mudança de configuração da aeronave que incluiu os processos de instalação dos suportes e câmeras e a remoção temporária de quaisquer componentes.   

“Depois que todos os limites de voo foram estabelecidos dentro do IFC pelo PMA-265, rapidamente me familiarizei com eles e garanti que o pessoal de produção e a tripulação estivessem cientes dos limites para evitar problemas”, disse ele.

Cerca de um mês antes das filmagens, Hernandez completou uma análise de força crucial para o projeto das montagens da câmera do cockpit em menos de três semanas. Hernandez também analisou o ‘glare shield’, um painel de alumínio de 0,063 polegada de espessura que segurava o conjunto de câmeras de 40 libras, e o submeteu a uma taxa de aceleração de 7,5 G ao longo de várias direções. Para isso, ele usou os softwares MSC Patran e Natran. 

Conjunto de câmeras Sony VENIC montadas sob o escudo anti-reflexo do assento traseiro do F/A-18F.

Enquanto uma equipe trabalhava na instalação das câmeras no caça, outros seis técnicos iniciavam a pintura de um F/A-18E e um F/A-18F. Os aviões vieram da área de armazenamento de longo prazo. 

“Replicamos o trabalho de pintura naquela aeronave para cenas não voadoras e close-ups dos atores perto da aeronave no solo”, disse Tommy Sapien, que atua como Gerente da Linha de Pintura das Aeronaves. 

Depois de aplicar várias camadas e decais de poliuretano, o projeto foi concluído em cinco dias. “Acertar os detalhes foi um desafio porque não trabalhamos com nenhum projeto. Fizemos a pintura com base nas fotos que tínhamos do Super Hornet de dois lugares das cenas de voo do filme”, contou Sapien

Em fevereiro de 2020, o F/A-18E foi entregue à FRCSE, onde passou por modificações. Atualmente esse jato está sendo usado pelos Blue Angels, a equipe de demonstração da Marinha dos EUA. 

Top Gun: Maverick levou aproximadamente oito meses para ser filmado em vários locais, incluindo as bases de Lemoore, Whidbey Island, Fallon e Naval Weapons Station China Lake. As filmagens em voo foram concluídas no inverno de 2019.

As equipes da FRCSW e FRCW dedicaram mais de 1.000 horas à produção do filme, ao mesmo tempo em que seguiam com as tarefas de cuidar e manter a frota de F/A-18 Super Hornet.