Caça Lockheed Marting F-35B Lighting II. Foto- U.s Marines

Após 8 meses do acidente envolvendo um F-35B Lightining II dos USMC, em setembro passado, autoridades norte americanas do Goverment Accountability Office (GAO), emitiram um comunicado justificando as causas da primeira queda de uma aeronave de 5º geração F-35.

“Uma investigação determinou que um defeito de fabricação causou a ruptura de um tubo de combustível do motor durante o voo, resultando em uma perda de energia para o motor”, disse o Government Accountability Office em um relatório.

F-35B Lighting II Joint Strike Fighter (Imagem Ilustrativa) Foto: Us Navy Twitter

Na época do acidente toda a frota de caças F-35 foram deixadas em solo para que uma investigação fosse concluída afim de aferir que o problema do tudo de combustível e os mesmos foram substituídos.

O fato ocorrido em setembro de 2018 foi “um fato isolado”, disseram autoridades norte-americana e isso não iria atrapalhar as vendas do caça ao redor do mundo.

Caça F-35A da JASDF, o mesmo sofreria um acidente algum tempo depois- Foto USAF

Como já dito esse foi a primeira queda de um caça F-35, a segunda queda registrada foi de um F-35A da Força de Auto Defesa do Japão, em abril passado, alguns destroços da aeronave foram encontrados, mas até hoje o piloto não foi achado.

O F-35B é uma das três variantes do caça stealh da Lockheed Martin, ele destaca pela possibilidade de pousos e decolagens na vertical (STOVL). O F-35, é uma aeronave de 5º geração e considerado o caça mais caro da história.

Fonte de apoio: Reuters / Edição: Aeroflap

DEIXE UMA RESPOSTA