A antiga Usina Nuclear de Chernobyl foi capturada e está sob controle de forças russas, afirmaram fontes de mídia e do governo da Ucrânia nesta quinta-feira (24). A planta nuclear, hoje desativada, foi palco de uma catástrofe nuclear em 1986. 

Esta é mais uma das várias áreas do território ucraniano que foram capturadas pelas tropas da Rússia após quase 24 horas de ataque. Ainda nesta manhã, a assessoria da presidência e o Ministério da Defesa informaram que forças ucranianas estavam tentando repelir o ataque russo na área de exclusão de Chernobyl. 

Horas depois, imagens mostrando blindados russos em frente a um prédio na usina nuclear começaram a circular pelas redes sociais. 

Mykhailo Podolyak, um assessor do gabinete presidencial ucraniano, disse que “Esta é uma das ameaças mais sérias na Europa hoje. É impossível dizer que a usina nuclear de Chernobyl está segura após um ataque totalmente inútil dos russos”, afirmou. 

“Nossos defensores estão dando suas vidas para que a tragédia de 1986 não se repita”, tuitou o presidente ucraniano Volodymyr Zelenskiy pouco antes da tomada da usina pelas tropas da Rússia. “Esta é uma declaração de guerra contra toda a Europa”, concluiu.

Ainda não está claro o porquê do interesse em capturar a usina, cujo último reator foi desativado em 2000. Alguns especialistas acreditam que o motivo seja o fato de Chernobyl estar em uma área potencialmente estratégica, que apresenta o caminho mais conveniente para o avanço em direção à capital ucraniana, Kiev.

Em 16 de abril 1986, quando a Ucrânia ainda era parte da União Soviética, o reator Nº4 da Planta Nuclear de Chernobyl explodiu durante um treinamento de emergência. O acidente é considerado o pior do tipo no mundo, matando 134 pessoas diretamente e contaminando outras dezenas de milhares. 

Mil Mi-26 Chernobyl Rússia
Helicóptero Mil Mi-26 durante os trabalhos de limpeza e descontaminação de Chernobyl após o acidente de abril de 1986.