Foto - Senior Airman Emily Copeland/USAF

Entre os dias 20 e 30 de maio partiram dos EUA três bombardeiros B1-B Lancer do 345º Esquadrão de Bombardeios Expedicionários com cerca de 300 militares, que vão participar de uma missão em Fairford, na Inglaterra, local onde fica uma base da RAF (Real Força Aérea). O exercício deste ano começou em 1º de junho e vai até 15 de junho.

O motivo da ida dos Lancer é a realização de um treinamento de apoio e manutenção do poder aéreo da OTAN. E nesses treinamentos servem para que haja uma integração maior de parceiros e aliados sobre o comando e controle dos EUA.

A Base de Fairford é tida como base operacional dos EUA na Europa, e tem uma estrutura voltada para grandes aeronaves, como os bombardeiros norte-americanos, incluindo os clássicos Boeing B-52 Stratofortress.

Além dos três bombardeiros supersônicos da USAF, os EUA também mandou aeronaves Boeing C-17 Globemaster III, para o apoio com materiais sobressalentes e para transportar os militares até a Inglaterra.

Os B-1 vão conduzir missões com as minas inertes Quickstrike Mark 62, proporcionando às forças militares dos EUA e da coalizão a oportunidade de treinar a recuperação dessas minas, que são recuperáveis e reutilizáveis.

Militar da USAF carregando o BB Lancer com uma bomba Mark 62- Foto U.s Air force

O Exercise Baltic Operations começou em 1972 e é um exercício anual conjunto, multinacional e marítimo. Ele é projetado para melhorar a qualidade de ação dos participantes, aumentar a flexibilidade e a interoperabilidade e demonstrar a determinação entre as forças aliadas e parceiras na defesa da região do Mar Báltico.

O exercício envolve forças marítimas, terrestres e aéreas para fortalecer as capacidades combinadas de resposta necessárias para assegurar a estabilidade regional.

Áreas de foco de treinamento incluem defesa aérea, guerra subsuperfície, interdição marítima, contra medidas de minas e operações anfíbias.