Um A-10C Thunderbolt II disparando seu canhão GAU-8/A Avenger, seu principal armamento. Foto: MSgt. Terry Atwell/USAF.

A Força Aérea dos EUA (USAF) pretende aposentar 42 jatos de ataque ao solo A-10C Thunderbolt II até o final de 2022. A intenção de retirar as aeronaves veio através de um comunicado publicado no dia 30 de junho, onde a Força Aérea explica seus planos de transferir as operações dos Warthog (como o A-10 é apelidado) e dos helicópteros de busca e resgate HH-60 Pave Hawk para a Base Aérea de Davis-Monthan, no Arizona. 

Com a mudança de bases, as unidades de salvamento e ataque, bem como o pessoal necessário, seriam transferidas para a base que também coordena o famoso “cemitério de aeronaves” da USAF, tornando Davis-Monthan um “Centro de Excelência para apoio aéreo aproximado e missões de resgate”. 

“A Força Aérea planeja modernizar e manter 218 [aeronaves] da atual frota de 281 A-10 com capacidade de combate”, disse o Tenente-General David Nahom, Vice-Chefe do Estado-Maior de Planos e Programas da USAF. “Enquanto o esquadrão de combate ativo em Davis Monthan vai fechar, a Força Aérea planeja trazer a escola de armas A-10 e HH-60 e esquadrões de teste operacional da Base Aérea de Nellis para Davis-Monthan.”

Jatos de ataque A-10C Thunderbolt II e aeronaves de resgate em combate HC-130J Combat King II e HH-60 Pave Hawk. Foto: Ryan Callaghan/USAF.

“A primeira fase do plano proposto, divulgado como parte da solicitação de orçamento do Departamento da Força Aérea para o ano fiscal de 2022, depende da aprovação do Congresso para a retirada de 42 aeronaves A-10, 35 das quais estão na Base Aérea Davis-Monthan. A retirada dessas aeronaves criará a flexibilidade fiscal e de mão de obra necessária para projetar e colocar em campo a futura força necessária para atender aos requisitos do Comandante de combatentes. A aposentadoria dos A-10 mais antigos em 2022 permitiria a base de Davis-Monthan receber as novas missões.”

O Curso de Instrutor de Armas (WIC) do A-10, assim como as operações de testes e avaliações, serão transferidas em 2022, enquanto as unidades que operam e mantém o HH-60G Pave Hawk – 88th Test and Evaluation Squadron, 66th Rescue Squadron, 58th Rescue Squadron, o 34th Weapons Squadron, e o 855th Aircraft Maintenance Squadron – começam a transferência em 2024. 

“De acordo com este plano, Davis-Monthan desempenhará um papel crítico na reformulação do poder aéreo dos EUA como lar do apoio aéreo aproximado e dos Centros de Excelência de resgate da Força Aérea”, disse o secretário interino da Força Aérea John P. Roth. 

“Este realinhamento consolidará todos os testes, treinamento e atividades escolares de armas do A-10 e HH-60 em um local, permitindo que os aviadores nessas áreas de missão treinem juntos para ameaças futuras”.

Antes de dar início às transferências de unidades, a USAF ainda completará a análise ambiental necessária. 

Jatos A-10C da 188th Fighter Wing durante uma manobra no Arkansas em 2013. A unidade aposentou seus A-10 em 2014. Foto: Senior Airman Matthew Bruch/USAF via Air & Space Magazine.

Concedido em agosto de 2019, o contrato de substituições de asas para o A-10, designado A-10 Thunderbolt Advanced Continuation Kitting, incluiu a compra de asas para 218 aeronaves. A Força Aérea investiu US$ 880 milhões em esforços de reaparelhamento do A-10 e modernização dos aviônicos, permitindo que a frota voe até 2030.

Leia mais: conheça o funcionamento do GAU-8 Avenger, o canhão de 30mm que equipa o A-10. 

Via Comando de Combate Aéreo da USAF. 

DEIXE UMA RESPOSTA