Boeing 757 Donald Trump
Foto: Reprodução

Quando saiu da presidência dos Estados Unidos, o bilionário Donald Trump prometeu que colocaria novamente em atividade o seu Boeing 757, que tem uma pintura icônica. E nas últimas semanas o avião foi deslocado para a Landlocked Aviation, uma empresa localizada na pequena cidade Lake Charles, em Louisiana.

O Boeing 757-200 de matrícula N757AF possui uma pintura predominante em preto com uma listra vermelha dividindo a barriga do avião na cor branca. O nome de Trump ganha destaque pela cor dourada sob o preto e a cauda com o ‘T’ cobrindo todo o leme. A aeronave ficou esses anos todos parada no Aeroporto Internacional Stewart em Nova York.

Após vários anos em solo, sem utilização, o Boeing 757 recebeu o mesmo padrão de cores utilizado anteriormente, e todo o procedimento, que inclui a remoção da camada de tinta antiga e aplicação do “novo padrão”, você pode conferir no vídeo abaixo.

Uma manutenção pesada, do tipo Check-C, foi realizada entre 2021 e 2022, e a perspectiva do ex-presidente é voltar a utilizar seu Boeing 757 VIP no próximo ano, em 2023.

“A aeronave está sendo reparada em Chennault por um de nossos locatários da aviação e está aqui por um período indeterminado de tempo. Em breve, ele será levado a uma instalação de serviço da Louisiana para a conclusão do trabalho, inspeção e atualização dos motores Rolls-Royce e uma nova pintura. Quando concluído, será melhor do que nunca e usado novamente nos próximos ralis!”, disse Donald Trump.

Este Boeing 757 voou pela primeira vez em 1991, através da Sterling Airways, portanto uma linha aérea, mas em 2011 Trump decidiu trocar seu já velho 727-100 por algo mais moderno.

Este avião foi configurado na década de 90 para uso VIP, na época pelo co-fundador da Microsoft, Paul Allen. Repassado para a DJT Operations LLC o avião passou por algumas atualizações, e passou a levar o bilionário Trump em seus compromissos oficiais, antes de ser utilizado na campanha presidencial de 2016.

No interior podemos encontrar um quarto privativo com chuveiro quente, juntamente com móveis de mogno e itens banhados a ouro. Manter todo esse luxo funcionando custa US$ 6 milhões por ano, mesmo sem voar.

Seus painéis internos são otimizados para diminuir a quantidade de ruídos abordo e seu alcance melhorado através da menor carga transportada.