MiG-31K com o míssil Kinzhal. Foto- Piotr Butowski/Aviation Week.

Um par de caças MiG-31K Foxhound armados com mísseis hipersônicos Kh-47M2 Kinzhal foram enviados para a base aérea russa de Khmeimim, na Síria. As aeronaves participarão de um grande exercício conjunto entre a Marinha e as Forças Aeroespaciais, no Mar Mediterrâneo. Os caças chegaram à Síria na sexta-feira (25). 

“Os pilotos de aviões adquiriram habilidades práticas para realizar missões em novas áreas geográficas. As tarefas foram realizadas para destruir o inimigo condicional e foram concluídas com alta qualidade. A tecnologia da aviação mais uma vez confirmou sua alta confiabilidade. O pessoal de voo ganhou uma experiência inestimável”, disse o comandante da aviação de longo alcance, Tenente-General Sergei Kobylash.

Os dois MiG-31, modelo que é o caça mais rápido em operação no mundo, se juntarão à caças Su-35S Flanker-E, bombardeiros Tu-22M3 Backfire, aeronaves de patrulha Il-38 e Tu-142MK e navios e submarinos da Marinha Russa. 

Nas imagens divulgadas pelo Ministério da Defesa da Rússia, os dois jatos são vistos decolando da Base Aérea de Khmeimim, cada um carregando o míssil de cruzeiro hipersônico Kh-47M2 Kinzhal (punhal). Segundo os russos, o míssil pode ultrapassar Mach 10 (cerca de 12253 quilômetros por hora ao nível do mar), carregando uma ogiva convencional ou nuclear. 

Os bombardeiros Tu-22M3 também podem empregar o Kinzhal e aparecem armados com mísseis ar-superfície Kh-22. Já o multifuncional Su-35S pode ser visto com mísseis ar-ar R-73 e R-77 e pods de contramedidas eletrônicas L005 Sorbstiya. 

Bombardeiro supersônico Tu-22M3 decolando com um míssil Kh-22 na asa esquerda. Foto: MD Russo.
Su-35S decolando com mísseis R-73 de curto-alcance, R-77 de médio-alcance e pods L005. Foto: MD Russo.

O treinamento ocorre um dia após o destroyer britânico HMS Defender navegou por águas que a Rússia diz ser suas, na região da Crimeia. O governo russo afirmou ter feito disparos de aviso e sobrevoos com jatos de ataque Su-24 Fencer sobre a embarcação britânica. No dia 18 de junho, caças stealth F-35B da RAF, operando a partir do porta-aviões HMS Queen Elizabeth, realizaram ataques contra alvos do Daesh no Oriente Médio. 

Em comunicado, o Ministério da Defesa informou que “De acordo com o plano do exercício, cinco navios da Marinha Russa (incluindo o cruzador de mísseis “Moskva”, as fragatas “Almirante Essen” e “Almirante Makarov”), bem como dois submarinos “Stary Oskol” e “Rostov-on- Don” juntamente com aeronaves anti-submarino Tu-142MK, Il-38, bombardeiros de longo alcance Tu-22M3 e aeronaves MiG-31K realizarão missões de treinamento de combate para garantir a segurança da base aérea de Khmeimim e do centro de logística Tartus da Marinha Russa.”

“Como parte do exercício conjunto, as tripulações de defesa aérea dos navios da força-tarefa permanente da Marinha Russa no Mar Mediterrâneo, por sua vez, participaram de um treinamento para repelir armas de ataque aéreo inimigas. De acordo com a situação operacional, a aeronave inimiga recebeu dados sobre a localização da fragata no mar e se dirigiu ao alvo para realizar um ataque aéreo com mísseis guiados. O inimigo com as características dadas foi simulado eletronicamente pelo sistema de controle de armamento do navio.”

MiG-31K decolando de Khmeimim com um míssil Kh-47M2. Foto: MD Russo.

“Durante o treinamento, as tripulações dos navios dos postos de informação de combate detectaram e classificaram o alvo, e os cálculos da defesa aérea, quando uma aeronave convencional se aproximou à distância de destruição, destruíram-no com lançamentos eletrônicos de mísseis antiaéreos, evitando assim um míssil ataque aos navios.”

DEIXE UMA RESPOSTA