O primeiro Gripen de produção da FAB, o F-39E 4101, deixando a linha da Saab em Linköping, Suécia.

Ontem (27), a Saab informou que dará início à fase de entregas do Gripen E em novembro, reforçando que quatro caças serão entregues para a Força Aérea Brasileira e outros dois para a Força Aérea Sueca. Hoje, a fabricante publicou um vídeo mostrando o primeiro Gripen de produção para a FAB deixando suas instalações em Linköping, na Suécia. Nas imagens, o caça de matrícula 4101 está sendo rebocado para fora do prédio após a conclusão da montagem. 

A aeronave deve ser enviada junto com mais um caça (o FAB 4102) para o Brasil no final do próximo mês a bordo de um navio, de forma similar ao que ocorreu com o Gripen 4100, o primeiro recebido pela FAB. No vídeo é possível ver designação F-39E pintada na deriva do Gripen, com a matrícula logo abaixo.

Por ser uma aeronave operacional, ela não carrega a bandeira do Brasil na cauda como no 4100, que está sendo usado no programa conjunto de testes e verificação do Gripen Eno Centro de Ensaios em Voo do Gripen (GFTC), localizado na fábrica da Embraer em Gavião Peixoto (SP). 

Outros dois caças serão enviados posteriormente, totalizando as quatro primeiras aeronaves operacionais da FAB. Estas serão operadas pelo 1º Grupo de Defesa Aérea (1º GDA), o Esquadrão Jaguar, que tem como sede a Base Aérea de Anápolis – Ala 2 (GO). 

Na cauda do novo caça da FAB, a designação F-39E aparenta ter um tamanho maior do que atualmente usado nas aeronaves em serviço.

“No total, nove Gripen E estão prontos e voando, com outros chegando no final deste ano. A parte crítica de ensaios em voo do programa está quase completa. Agora, nos concentramos na verificação e declaração para alcançar o Certificado de Tipo Militar, no desenvolvimento tático contínuo e atividades para permitir a entrega completa do sistema de armas”, disse Mikael Olsson, head de Teste e Verificação de Voo na Saab Aeronautics.

A velocidade aumenta nos ensaios em voo do Gripen E e também nas instalações de produção, que alcançará a taxa de produção plena em Linköping durante o próximo ano. Cerca de 30 Gripen E estão na linha de montagem, o que significa que a Saab fabrica perto de um terço dos caças da sua atual carteira de pedidos.

O Brasil adquiriu um total de 36 Gripens, sendo 28 F-39E de um assento e oito F-39F de dois assentos. Além do 1º GDA, o Esquadrão Adelphi (1º/16º GAv) também deverá operar os caças inicialmente.

KC-390, Gripen e F-5EM voam juntos durante a solenidade do Dia do Aviador em Brasília.

A unidade foi ativada em 1988 na Base Aérea de Santa Cruz e fez a implantação do caça-bombardeiro AMX A-1, sendo desativada em 2016. Suas aeronaves foram transferidas aos esquadrões Poker e Centauro, concentrando os A-1 na Base Aérea de Santa Maria. 

O Adelphi, cujo nome é uma homenagem aos veteranos do 1º Grupo de Aviação de Caça que lutaram na Segunda Guerra Mundial, deve ser reativado nos próximos anos. Acredita-se que o esquadrão vai implantar as doutrinas de ataque ao solo e reconhecimento com o novo caça multimissão. 

DEIXE UMA RESPOSTA