Foto: Brett Brock/EAA AirVenture Oshkosh

Durante o EAA AirVenture Oshkosh 2021, um dos maiores e mais famosos shows aéreos do mundo, um caça F-16C da USAF acabou quebrando a barreira do som em uma passagem baixa em frente ao público. O fato ocorreu no dia 29 de julho. 

Em um vídeo gravado por Steve Kauzlarich do canal Warbird Videos, é possível escutar dois estrondos sônicos. Como explicado pelo site The Aviationist, quando um avião ultrapassa a velocidade do som, duas ondas de choque (chamadas de cone) se formam na aeronave, sendo uma no nariz e outra na cauda. Como a onda de choque pode estilhaçar vidros e trazer incômodos, é mais comum que caças não ultrapassem a velocidade do som em shows aéreos com muito público e em áreas povoadas. 

A NASA explica o fenômeno: “A onda de choque forma um “cone” de moléculas de ar pressurizadas ou acumuladas, que se movem para fora e para trás em todas as direções e se estendem até o solo. À medida que esse cone se espalha pela paisagem ao longo da trajetória de voo, ele cria um estrondo sônico contínuo ao longo de toda a largura da base do cone. A forte liberação de pressão, após o aumento da onda de choque, é ouvida como o estrondo sônico. A mudança na pressão do ar associada a uma explosão sônica é de apenas algumas libras por pé quadrado – aproximadamente a mesma mudança de pressão experimentada ao descer dois ou três andares em um elevador. É a taxa de mudança, a mudança repentina de pressão, que torna o estrondo sônico audível.”

 

Na descrição do vídeo, Steve explicou o fenômeno e descreveu a sensação: “Aeronaves atravessando a barreira do som criam dois estrondos sônicos, um no nariz da aeronave e outro na cauda, ​​mas geralmente são ouvidos como um só. O F-16 estava muito perto, talvez a 120 metros da câmera, então não havia dúvida de que houve duas explosões e ondas de choque, especialmente em pessoa. Parecia que duas bombas M-80 explodiam alguns metros à nossa frente.”

O F-16 do vídeo estava sendo usado pela Viper Demo Team, equipe de demonstração da Força Aérea dos EUA, responsável por realizar voos com o F-16 em shows aéreos. A aeronave recebeu uma chamativa pintura preta com detalhes em amarelo por cima da já conhecida pintura cinza padrão. Viper (víbora) é como o F-16 é chamado por pilotos, mecânicos, entusiastas e afins. 

O F-16C da Viper Demo Team em exposição estática durante Oshkosh 2021. Foto: Laurie Goossens/EAA AirVenture Oshkosh.

Com mais de 4500 unidades produzidas desde 1973, o F-16 é o caça “mais popular” do mundo. Ele pode atingir, em grande altitude, velocidades pouco superiores que Mach 2, ou seja, duas vezes a velocidade do som, além de poder empregar uma enorme gama de armamento, sensores e outros equipamentos. 

Além do estrondo audível, a onda de choque também é sentida fisicamente. Cayla McLeod estava gravando um vídeo em um bombardeiro-médio B-25J Mitchell da Segunda Guerra Mundial quando o F-16 ultrapassou Mach 1, fazendo com que seus cabelos voassem. 

A edição de 2021 do EAA AirVenture Oshkosh ocorreu entre os dias 16 de julho e 01 de agosto. A próxima edição esta prevista para se dar entre 25 e 31 de julho de 2022. 

DEIXE UMA RESPOSTA