Su-25 Rússia Desfile Dia da Vitória
Jatos de ataque ao solo Sukhoi Su-25 Frogfoot sobrevoam Moscou no desfile aéreo do Dia da Vitória em 2018. Foto: Escritório de Imprensa da Presidência Russa.

Anualmente a Rússia realiza os desfiles do Dia da Vitória, onde celebra a derrota da Alemanha Nazista na Segunda Guerra Mundial, chamada de Grande Guerra Patriótica no país.

Os desfiles são realizados em várias cidades espalhadas pelo país, mas o maior deles ocorre na Praça Vermelha em Moscou, onde centenas de tropas e veículos desfilam para grandes autoridades russas, como o presidente Vladimir Putin, e veteranos de guerra. 

Rússia Dia da Vitória Desfile MiG-29 Il-78 Tu-95
Caças MiG-29M escoltando um avião-tanque Il-78 e um bombardeiro Tu-95 durante o desfile do Dia da Vitória de 2009. Foto: Sergey Ashmarin (CC BY-SA 3.0)

Um dos destaques do desfile é justamente sua porção aérea, onde dezenas de aviões e helicópteros de vários tipos e modelos sobrevoam Moscou, em formações que chegam a formar até números e símbolos.

Na edição deste ano, o desfile aéreo foi cancelado por causa das condições meteorológicas. A baixa altura das nuvens impediu um sobrevoo seguro das aeronaves, algo que ocorreu pela última vez em 2017

Mesmo assim, não podemos deixar de relembrar os belos sobrevoos em outros desfiles, como nos vídeo abaixo, que mostram os ensaios e as celebrações aéreas de 2018.

O desfile aéreo abre com as asas rotativas da Aviação do Exército Russo. A primeira formação tem como aeronave-líder um Mil Mi-26 Halo, maior helicóptero de produção no mundo, escoltado por quatro Mi-8AMTSh. 

Em seguida, vêm outras três formações, cada uma composta por quatro helicópteros Mi-28 Havoc, Ka-52 Alligator/Hokum-B e Mi-24 Hind. Os Havocs pertencem à esquadrilha de demonstração Berkuts, a única na Rússia que usa helicópteros.

Helicópteros Ka-52. Imagem: Soltau Cruiser/Captura de tela.

Após a passagem dos helicópteros, é a vez da chamada Aviação de Longo Alcance. A formação de cinco aeronaves é liderada pelo bombardeiro Tu-160 Blackjack, uma das aeronaves mais rápidas e poderosas das Forças Aeroespaciais Russas (VKS), escoltada por outros quatro bombardeiros Tu-22M3 Backfire. 

Após a formação maior, seguem três cargueiros pesados Il-76MD Candid, seguidos por três bombardeiros Tu-95MS Bear. O Bear é uma das aeronaves mais famosas da Rússia e no vídeo é possível escutar o característico som de seus motores turboélices contra-rotativos Kuznetsov NK-12, um dos mais potentes da história.

Soltau Cruiser/Captura de tela.

Após os seis aviões, o Tu-160 aparece novamente, desta vez em formação de reabastecimento em voo com um Il-78, a versão de avião-tanque do Il-76. O Il-78 é chamado de Midas pela OTAN e pode transportar mais de 105 toneladas de combustível, transferidos para outras aeronaves através de três mangueiras instaladas nas asas e fuselagem. 

Depois dos bombardeiros é a hora dos aviões de caça e de ataque da Aviação Tática da VKS. Os primeiros são quatro caças MiG-29SMT Fulcrum, seguidos por quatro jatos de ataque ao solo Su-24M Fencer. O Su-24 surgiu no final da década de 1960 como resposta ao bombardeiro tático norte-americano F-111 Aardvark.

Soltau Cruiser/Captura de tela.

Enquanto o modelo dos EUA foi aposentado em 1996, o Su-24 segue em operação em diversas variantes para conduzir missões de ataque, interdição, reconhecimento e guerra eletrônica. 

Em seguida é a vez de quatro MiG-31, um potente interceptador russo e o mais rápido caça em serviço no mundo, capaz de atingir os 3000 Km/h. Logo atrás seguem os Su-34 Fullback, um caça-bombardeiro de longo alcance e um dos mais modernos da frota russa. No entanto, nove destes aviões foram perdidos no recente conflito com a Ucrânia. 

Soltau Cruiser/Captura de tela.

Os Su-34 são seguidos por um par de caças Su-57 Felon, o primeiro (e único) caça de quinta geração produzido na Rússia. A edição de 2022 teria a participação de três destas aeronaves, que ainda existem em poucos números dentro da VKS. 

Uma formação delta ainda maior com quatro Su-34, quatro Su-30SM Flanker-C e dois Su-35 Flanker-E vem logo em seguida.

Logo após é a vez das duas principais esquadrilhas de demonstração da VKS: os Russian Knights, com cinco Su-30SM, e os Swifts (Strizhi) com quatro MiG-29. Esta formação chama atenção pelo disparo de flares, contramedidas que parecem fogos de artifício, usadas para despistar mísseis guiados por calor. 

Soltau Cruiser/Captura de tela.

Outra bela formação sobrevoa a Praça Vermelha logo em seguida, composta por seis jatos de ataque ao solo Su-25 Frogfoot, que despejam fumaça nas cores vermelha, azul e branca da bandeira da Rússia. 

O desfile aéreo então se encerra com mais dois MiG-31K, desta vez carregando uma das mais novas armas russas: o míssil hipersônico Kinzhal. A maior vantagem deste míssil balístico lançado pelo ar é justamente sua capacidade de ultrapassar Mach 10 (10 vezes a velocidade do som), dificultando sua detecção e interceptação. Cada Kinzhal pode carregar uma ogiva convencional de 500 kg ou uma ogiva termonuclear de pelo menos 100 kilotons. 

Kh-47 mísseis hipersônico MiG-31 Putin
Caças MiG-31K armados com o míssil hipersônico Kh-47M2.

O desfile de 2018 reuniu um total 74 aeronaves militares nos céus de Moscou, marcando a primeira aparição do MiG-31 com os mísseis Kinzhal.

De fato, os desfiles do Dia da Vitória sempre foram reconhecidos por ser um evento onde novas armas russas são mostradas ao público pela primeira vez. Foi o que ocorreu com o tanque T-14 Armata, por exemplo, que apareceu pela primeira vez durante o desfile de 2015