Clique Aqui e receba as principais Notícias da Aviação em tempo real diretamente no seu Whatsapp ou Telegram.

Virgin Austrália Boeing 737

A companhia aérea australiana, Virgin Austrália, está buscando ampliar a sua capacidade operacional em até 15%. Em 2020 a empresa passou por grandes reduções de malha e de frota devido a restrição de viagens. 

Agora confiante de que os próximos meses irão favorecer as viagens, a Virgin está buscando aumentar em até 9 aeronaves a sua frota. A companhia devolveu no ano passado algumas aeronaves, entre elas alguns 737s. A empresa tinha planos de reduzir a sua capacidade e sua malha para se tornar uma empresa menor e se adequar ao cenário.

Dos 57 Boeings 737-800, 51 deles estão ainda em operação. Os 6 restantes estocados, devem ser devolvidos por terem valores muito altos de leasing. A Virgin agora está buscando aeronaves com valores menores para compor a frota e aumentar a sua capacidade operacional.

A Virgin está confiante de que a Austrália mantenha as operações sem restrições de voos domésticos e internacionais. Além disso, o governo local está colocando em prática um estimulo para o turismo e a economia. Um pacote de redução nos valores de cerca de 800 mil bilhetes aéreos também estará em pauta. 

“Este é um evento único em uma geração que dará a toda a cadeia de suprimentos da indústria do turismo um impulso significativo, do qual ela precisa desesperadamente”, disse Jayne Hrdlicka, CEO da Virgin Austrália.

Tanto a Virgin como a Qantas estão confiantes na retomada do setor aéreo no país. A Virgin estima que a empresa opere 65% a mais de voos em relação ao mesmo período em 2020. Já a Qantas espera um aumento entre 90% e 100% no volume de passageiros e de voos operados em relação ao mesmo período do ano anterior.