Primeiro voo de um AW101 para a Marinha Polonesa. Foto: Leonardo/Divulgação.

Na última terça-feira (20), a companhia italiana Leonardo realizou com sucesso o primeiro voo do primeiro helicóptero AW101 da Marinha da Polônia. A operação foi realizada nas instalações da fabricante em Yeovil, na Inglaterra. 

Segundo a Leonardo, o voo demonstrou verificações funcionais dos principais sistemas do helicóptero, bem como do sistema de controle, e verificações de manuseio do motor foram realizadas para monitorar a faixa de velocidade da aeronave. Agora, o envelope de voo será expandido com testes explorando o equipamento de missão personalizado instalado na aeronave.

Em abril de 2019, a fabricante anunciou o contrato avaliado em US$ 430 milhões para o fornecimento de quatro helicópteros AW101 para a Brigada de Aviação Naval Polonesa. As aeronaves devem ser entregues até o final de 2022 e serão equipadas com modernos radares, sensores, sistemas de missão, datalink, piloto automático e demais equipamentos e aviônicos avançados, atuando em missões de patrulha marítima, busca e salvamento em combate (CSAR) e Guerra antissubmarino.

A companhia polonesa PZL-Świdnik atua como contratante principal sendo responsável por toda a execução do contrato, enquanto a Leonardo é responsável pela fabricação e montagem das aeronaves. 

Projeção artística de um AW101 polonês. Imagem: Leonardo/PZL-Świdnik.

“Este foi o primeiro voo da nova aeronave AW101 ASW construída aqui em Yeovil para os militares poloneses. O voo representa não apenas o culminar dos processos de design e produção, mas também o início da fase de testes completos de desenvolvimento da aeronave. Espera-se que haverá um total de 700 horas de voo de testes nas quatro fuselagens, o que confirmará o funcionamento correto de cada aeronave, bem como desenvolverá e validará uma ampla gama de missões e mudanças específicas se comparado ao AW101 padrão”, comentou Miles Barnett, piloto de testes sênior da Leonardo Helicopters (Reino Unido).

O AW101 já está em serviço em algumas das nações mais importantes da OTAN, como Itália, Reino Unido, Canadá, Dinamarca, Noruega e Portugal. O modelo também é chamado de Merlin. 

DEIXE UMA RESPOSTA