A Força Aérea Americana (USAF) realizou na semana passada um exercício com dois bombardeiros B-1B Lancer em conjunto com caças F-16 e F-15 da Coreia do Sul e do Japão. A missão de treinamento foi realizada em toda a Coreia do Sul e nas proximidades da Coreia do Norte, inclusive no mar do Japão, que separa os dois países.

“As ações da Coréia do Norte são uma ameaça para nossos aliados, parceiros e pátria”, disse o general da Força Aérea, Terrence J. O’Shaughnessy, comandante das Forças Aéreas do Pacífico.



Um treinamento de disparos também foi realizado na província de Gangwon, um local ao leste da Coreia do Sul e que mantém divisa com a Coreia do Norte. Outro local que recebeu essa missão foi o Mar da China Oriental, em área internacional. O bombardeiro B-1B lançou bombas falsas, sem capacidade de destruição, usadas para treinamento, já os caças utilizaram armamento real, de acordo com a USAF.

Em resposta ao sobrevoo no Mar da China, as forças armadas da China ocuparam as águas internacionais para “tentar expulsar os EUA da região”.

 

Em nota para a imprensa a Força Aérea Americana disse:

“Como parte da demonstração contínua de compromisso dos EUA com seus aliados, contra a crescente ameaça dos programas de mísseis balísticos e nucleares da Coreia do Norte, dois bombardeiros B-1B Lancer da Força Aérea dos EUA, baseados na Andersen Air Force Base, em Guam, realizaram uma missão bilateral sequencial de 10 horas, com jatos de combate sul-coreanos e japoneses.”

“A missão é em resposta a uma série de ações cada vez mais escalonantes da Coreia do Norte, incluindo o lançamento no dia 3 de julho de um míssil balístico intercontinental.”