Air New Zealand demitirá 387 pilotos de acordo com sindicato

A Air New Zealand planeja uma demissão de 387 pilotos em meio à crise do coronavírus, informou o sindicato nesta terça-feira (07/04).

A Associação de Pilotos de Linha Aérea da Nova Zelândia (NZALPA) disse que se reuniu várias vezes no dia 06 de abril com o presidente-executivo da companhia, Greg Foran, e sua equipe executiva para discutir medidas de redução de custos.

“A Air New Zealand informou à NZALPA que eles propunham demitir 387 pilotos como resultante do cronograma de voos proposto pela Air New Zealand”, disse o presidente da NZALPA, Andrew Ridling.

O sindicato disse que negociaria baixar esse número e finalizar o processo do acordo. Os diretores do sindicato também querem que a Air New Zealand estabeleça condições para o retorno dos pilotos.

Ridling acrescenta: “Fomos muito claros com o executivo-chefe Greg Foran e a equipe executiva da Air New Zealand desde o início deste processo: se não pudermos salvar todos os empregos, a NZALPA lutará para garantir que haja um caminho claro e transparente para a Air Nova Zelândia para todos os pilotos que escolheram voltar.”

A Air New Zealand reduziu 95% de seus voos e concordou com empréstimos do governo, enquanto combate a queda na demanda.

A companhia disse no dia 31 de março que planejava demitir 3500 funcionários de sua força de trabalho de 12500 colaboradores, como forma de encarar a crise. 


 

DEIXE UMA RESPOSTA