Airbus atinge a marca de 10000 entregas de aviões da família A320

Airbus
A Airbus entregou hoje (09/10) para a Middle East Airlines (MEA) a 10000º aeronave da família A320 já fabricada pela empresa, um momento histórico para a empresa europeia.
 
A entrega da aeronave ocorreu em Toulouse, na presença de Mohamad El-Hout, Presidente e Diretor Geral da MEA.
 
Ao todo a Middle East Airlines (MEA) vai receber 18 aviões A321neo. Todos são equipados com motores Pratt & Whitney PurePower PW1100G, com 28 assentos na Executiva e 132 na Econômica.
 
A companhia é conhecida por outro marco, quando recebeu em 2012 o 5000º avião da família A320, oito anos antes desse marco significativo, onde a Airbus conseguiu produzir 5000 aeronaves em todo esse (pouco) tempo.
 
Airbus
A Airbus costuma contar as suas aeronaves fabricadas por cada modelo, ao invés de implementar um número de série comum para toda a sua linha de produtos. Por este motivo a Airbus conseguiu atingir a marca de 10000 aviões produzidos na família A320, entre o Ceo, de geração anterior, e o Neo, de nova geração.
 

E isso mostra também a força da família A320 no mercado de aviação. A aeronave lançada na década de 80 já acumula um total de 15650 encomendas, e há mais aviões A320 em operação em comparação com o Boeing 737.

Ao longo dos anos de operação o A320 fez sucesso pela ampla flexibilidade da família de aviões. Vale ressaltar que essa flexibilidade permite que a mesma tripulação faça voos no A318, de 120 assentos, e no A321ceo, de 220 assentos, economizando recursos na companhia aérea e também no treinamento de tripulantes.

A mesma comunalidade é destaque na manutenção das aeronaves, que pode ser realizada pela mesma equipe, e muitas vezes com as mesmas peças. Por este motivo a família A320ceo/neo fez muito sucesso, e agora ainda mais, visto que a Airbus criou versões do A321neo que podem ser utilizadas em voos de curta distância, entre Paris e Londres, bem como para voar entre Miami e Paris.

A família A320 ainda deve continuar dominando o setor de aviação durante esta e a próxima década, contudo, a Airbus já estuda tecnologias para substituir os aviões atuais. Confira mais Clicando Aqui.

 

DEIXE UMA RESPOSTA