Cockpit do RV-7 na EAB 2015.

A Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) foi comunicada na manhã desta quarta-feira, 3/02, sobre alterações na gasolina de aviação (AVGAS) fornecida no Brasil. 

A Agência vem acompanhando o caso atentamente, especialmente no tocante à avaliação da qualidade do combustível feita pela Agência Nacional de Petróleo (ANP), que é responsável pela fiscalização da distribuição, qualidade da composição e demais atividades relacionadas ao combustível no Brasil.

Essa avaliação busca compreender o nível de alteração no combustível e qual o impacto dessa possível irregularidade.

Aos operadores aéreos, a ANAC recomendou que, caso exista histórico ou evidências de contaminação, busquem imediatamente uma oficina de manutenção aeronáutica credenciada para uma avaliação mais detalhada, além de interromper o abastecimento das aeronaves com o combustível de aviação. Ao identificar esse tipo de caso, os relatos deverão ser enviados para o endereço de e-mail: assop@anac.gov.br 

Com as informações recebidas da comunidade aeronáutica e com a avaliação feita pela ANP, a ANAC poderá avaliar potenciais impactos na aviação geral. Se houver confirmação de contaminação que comprometa de imediato a operação de aeronaves, ANAC atuará imediatamente em prol da segurança da aviação, podendo, inclusive, recorrer a medidas cautelares e emergenciais.

É importante destacar que a gasolina de aviação (AVGAS) é utilizada por aeronaves de pequeno porte e não impacta a aviação comercial, que utiliza o combustível QAV.

 

Via: ANAC