Foto - Avianca/Divulgação

A Avianca Brasil apresentou um novo relatório para a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), onde apresentou o prejuízo líquido de R$ 188 milhões no terceiro trimestre de 2018.

O resultado negativo da companhia foi acrescentado aos trimestres anteriores de 2018, quando a empresa também apresentou prejuízos na casa das centenas de milhões de reais. Em 2017 a companhia fechou com lucro, e no 3º trimestre apresentou lucro de R$ 105 milhões.

A sequência de prejuízos culminou em um processo de Recuperação Judicial, aberto em dezembro de 2018. Clique Aqui para conferir mais sobre o assunto.

De acordo com a Avianca Brasil, a companhia teve um resultado positivo nos seus voos nacionais, mas a operação internacional da companhia apresentou um grande deficit financeiro. A companhia já anunciou que vai cancelar seus voos internacionais para Miami, Santiago e Nova York.

O principal problema está relacionado à baixa taxa de ocupação da aeronave, somado com o custo alto de operação desses voos, que geralmente são realizados com o Airbus A330-200, o maior avião da Avianca Brasil.

Em nota a Avianca Brasil disse: “A companhia vem cumprindo a expectativa de aumento nas receitas, entretanto, ainda não foi suficiente para produzir resultados positivos em decorrência de mudanças relevantes no mercado, resultantes de aumento de custo no preço do combustível e, principalmente, variação cambial, que além de influenciar no preço do barril de petróleo, traz grandes impactos nas despesas com os arrendamentos operacionais das aeronaves”.

A companhia e especialistas esperam uma melhora na expectativa geral de lucro para as companhias aéreas brasileiras, com a queda do dólar após ajustes econômicos do novo governo, uma queda no preço dos combustíveis e maior crescimento da demanda, pela aceleração da economia. Vale ressaltar que boa parte da aviação está vinculada ao dólar, visto que vários insumos são cotados com base nessa moeda.

A Avianca Brasil também citou no relatório que no final de setembro tinha 59 aeronaves arrendadas, mas atualmente tem somente 50 aeronaves na frota, sendo que 46 delas operam voos regulares. O custo total com leasing no trimestre foi de R$ 700,9 milhões, contra R$ 477,637 milhões no ano anterior.

Entre 2017 e 2018 a Avianca também renovou sua frota, e trocou vários aviões da antiga geração, mas novos, por aviões do modelo A320neo, que são mais caros e tem maior valor de leasing.