Azul confirma a intenção de ter 75 aviões Embraer E195-E2 até 2024

Azul

A Azul S.A. anunciou hoje (28) uma renovação do seu plano de frota.

Essa última projeção reflete a aceleração da estratégia de transformação da frota da Companhia, resultando em 100% da capacidade dos voos domésticos da Azul vindo de aeronaves de nova geração até 2022.

Esse plano de frota representa o número esperado de cada tipo de aeronave que planejamos operar nos próximos cinco anos. A Azul tem flexibilidade para reduzir ou aumentar esses números, dependendo das condições do mercado.

John Rodgerson, presidente da Azul.

O plano de frota inclui a última divulgação de John Rodgerson, no interesse da companhia de ter até 75 aviões E195-E2 da Embraer na frota. Podemos observar que já em 2022, a companhia deve operar sem aviões E195-E1, e com mais de 62 aviões E195-E2.

A Azul também anunciou hoje que planeja repassar 53 aviões E195-E1 para a LOT Airlines, e no planejamento de frota podemos ver como, já neste ano, a companhia retirará 28 aviões deste modelo da sua frota.

Destaque também para a operação até 2024 de 80 aviões da família A320neo, incluindo a encomenda adicional para 13 aviões A321neo.

Veja mais no gráfico abaixo:


Ao todo, a companhia deverá ter 200 aviões em 2024, um considerável aumento de frota de 42%, em comparação com a frota atual da companhia.

“Como resultado, a Azul terá uma das frotas mais eficientes do mundo, em termos de consumo de combustível, rentabilidade e ambiental”, diz o comunicado da companhia.

De acordo com John Rodgerson, CEO da Azul: “nós encerramos 2019 com 42 aeronaves da nova geração e não poderíamos estar mais entusiasmados com a economia, bem como com a experiência de alta qualidade a bordo, que elas oferecem aos nossos clientes. Os A320neos e E2s são os principais pilares da nossa meta de aumentar significativamente a receita e a rentabilidade, ao mesmo tempo em que crescemos com responsabilidade nos próximos cinco anos”.

 

Substituição rápida da frota tem uma justificativa

Novo E195-E2 tem 18 assentos adicionais, e voa com maior economia de combustível.

A Azul conduziu uma extensa análise financeira sobre os benefícios da substituição dos E195s por aeronaves de nova geração mais eficientes em termos de consumo de combustível.

As aeronaves Embraer E2 têm um custo por viagem 14% menor, e um custo unitário 26% menor em comparação aos E195s, além de ter 18 assentos adicionais.

Essa significativa redução de custos é impulsionada principalmente pela eficiência no consumo de combustível do E2, menor custo de aquisição e reduzidos custos de manutenção, conforme detalhado na tabela abaixo.

Como resultado do menor custo por assento do E2, a Companhia espera operar essas aeronaves com uma taxa de utilização de aproximadamente 13 horas por dia, aumentando ainda mais a rentabilidade desse equipamento.

Considerando que o prazo remanescente do contrato de locação da frota atual de E195 da Azul é de 4,7 anos, a Companhia acredita que a aceleração da transformação de sua frota irá gerar um fluxo de caixa operacional incremental de aproximadamente R$2,9 bilhões entre 2020 e 2027.

Especificamente, a empresa espera que o melhor desempenho dos E2, combinado com a receita de subarrendamento, mais do que compensarão o custo incremental de acelerar a substituição de todos os E195s até 2022.

Adicionalmente, a substituição de toda a frota de E195 da Azul deve gerar R$4,8 bilhões de EBITDA incremental entre 2020 e 2027, ou aproximadamente R$16 milhões por aeronave E195 substituída, em uma base anualizada.

Devido à diferença entre o valor contábil dos arrendamentos atuais dos E195 e o valor recuperável estimado, a Companhia espera reconhecer uma baixa não-caixa de até US$750 milhões, que será refletido no resultado do quarto trimestre da Companhia, conforme detalhado abaixo.

 

DEIXE UMA RESPOSTA