NASA Sofia
Foto: NASA

Mais conhecido como telescópio voador, o Boeing 747SP de matrícula N747NA da NASA é uma aeronave que conta com um telescópio com quase 3 metros de diâmetro na parte traseira.

Batizado de SOFIA (Stratospheric Observatory for Infrared Astronomy), o raro Boeing 747SP é utilizado para experimentos científicos de cunho astronômico pela NASA e pela agência espacial alemã DLR.

SOFIA NASA 747
A adição de uma porta não afetou a aerodinâmica do 747. Foto: NASA

Entretanto, após 12 anos do seu lançamento, a NASA anunciou que o exótico Boeing 747 será retirado das operações no dia 30 de setembro, sendo que a aeronave cumpriu a sua principal missão de 5 anos em 2019, com uma extensão operacional por mais 3 anos.

Segundo a NASA, o alto custo operacional da aeronave e o seu nível de produtividade são incompatíveis com os custos orçamentários para a Agência Espacial, recomendando o fim da missão SOFIA. Com isso, tanto a NASA quanto a DLR concordaram em encerrar a missão no final de setembro.

Nascido em 1996, a missão SOFIA nasceu em 1996, mas decolou a bordo do 747 apenas em 2010. A missão serviu para observar a Lua, outros planetas, bem como regiões formadoras de estrelas e galáxias.

No mês passado, o telescópio voador visitou pela primeira vez (e única) a América do Sul via o Chile por duas semanas, desde então, a aeronave vem realizando voos a partir de Palmdale, na Califórnia.

Sendo uma das últimas unidades do Boeing 747SP em condições operacionais, este pequeno Jumbo de 44 anos foi fabricado na década de 1970 quando estreou pela lendária Pan Am em 1977 e repassada para a United Airlines em 1989.

Em 1997, foi a vez da aeronave fazer parte da NASA, para isso, o avião recebeu modificações estruturais para o recebimento do gigante telescópio infravermelho, tornando-se em uma espécie de laboratório voador.

Desde 2014, a aeronave passou por três checagens pesadas de manutenção, sendo que o último check do tipo (Check-C) foi realizado no final de 2020 pela Lufthansa Technik em Hamburgo, na Alemanha.

 

NASA Sofia
SOFIA carrega um telescópio de 17 toneladas. Foto: NASA

Prestes a encerrar a sua vida operacional, sem dúvidas a SOFIA deixará um legado de extrema importância para o mundo científico e astronômico, mostrando que a aviação pode ser um importante aliado para a observação de astros, mas que dificilmente veremos outra aeronave empregada para a mesma missão graças aos avanços tecnológicos.