Boeing 787
Foto: Boeing

Faz alguns meses que a Boeing enfrenta problemas na produção do 787 Dreamliner. Desde 2020, quando a FAA detectou rachaduras em fuselagens produzidas recentemente (veja mais Clicando Aqui), as entregas estão interrompidas pela FAA.

Apesar dos vários meses que a Boeing está trabalhando para desenvolver uma solução para os problemas de produção do 787, uma fonte do setor disse à Reuters que a fabricante pode continuar encarando problemas nos próximos meses.

Atualmente mais de 100 aviões do modelo 787 Dreamliner estão estocados nas instalações da Boeing, isso significa que a empresa deixou de arrecadar 9 bilhões em receita em 2020 e 2021, somente com esse problema. É possível mensurar o impacto no prejuízo que a unidade de aviões comerciais enfrentou no 3º trimestre, com as entregas do 787 paralisadas e do 737 MAX em ritmo lento.

A Raytheon Technologies, que fornece uma série de sistemas para o Dreamliner, disse na terça-feira que não estava enviando nada para a produção do 787.

“Estamos progredindo em nossas abrangentes inspeções e análises e continuaremos a levar o tempo necessário para atender aos mais altos padrões, ao mesmo tempo em que trabalhamos de perto com nossos fornecedores e clientes”, disse um porta-voz da Boeing na terça-feira à Reuters quando questionado sobre os problemas do 787.
 
Em 2021 a Boeing só entregou 14 aviões Boeing 787 Dreamliner, muito menos em comparação com a meta de entregar 100 aviões deste modelo em 12 meses. Além dos aviões já produzidos, a fabricante também enfrenta problemas com aeronaves que foram entregues nos últimos meses antes da paralisação.
 

Com informações de Reuters.

 

DEIXE UMA RESPOSTA