a-10 AGM-65 MAVERICK míssil
A-10C disparando um míssil AGM-65 Maverick. Foto: MSgt Robert Wieland/USAF.

A Boeing, em parceria com a Korean Aerospace Industries (KAI) e outros fornecedores importantes, entregou o primeiro novo conjunto de asas para a frota de jatos de ataque A-10 Thunderbolt II da Força Aérea dos EUA (USAF).

De acordo com o anuncio da companhia, divulgado nesta quarta-feira (25), o conjunto de asas chegou no início deste mês à Base Aérea de Hill em Ogden, Utah, onde a Força Aérea iniciou a integração de aeronaves.

A-10 EUA USAF GAU-8
Um A-10C Thunderbolt II disparando seu canhão GAU-8/A Avenger, seu principal armamento. Foto: MSgt. Terry Atwell/USAF.

“A Boeing está trabalhando diligentemente para entregar as novas asas extremamente necessárias para a frota deA-10”, disse a Tenente-Coronel Jaclyn Melton, líder de material para programas A-10 no Escritório do Programa do Sistema A-10 na Base Aérea de Hill.

A Boeing recebeu o contrato em agosto de 2019 e atualmente está trabalhando para fornecer à Força Aérea 50 conjuntos de asas.

Cada kit consiste em conjuntos de asa externa e central, superfícies de comando e kit de integração da fuselagem. As asas atualizadas são mais duráveis, eficientes e fáceis de manter, estendendo a vida útil dos A-10 para 10.000 horas.

Jatos A-10C da 188th Fighter Wing durante uma manobra no Arkansas em 2013. Foto: Senior Airman Matthew Bruch/USAF via Air & Space Magazine.

“O A-10 desempenha um papel crítico para a Força Aérea e a Boeing tem orgulho de estender nosso legado de apoio ao Thunderbolt e sua missão”, disse Dan Gillian, vice-presidente de serviços governamentais dos EUA da Boeing Global Services. 

“Em parceria com a Força Aérea e nossa base de suprimentos estabelecida, iniciamos a produção com taxa total e estamos apoiando ativamente o cronograma de instalação do cliente.”

Jatos de ataque A-10C Thunderbolt II e aeronaves de resgate em combate HC-130J Combat King II e HH-60 Pave Hawk. Foto: Ryan Callaghan/USAF.

O programa de asas para o A-10 era anteriormente uma linha paralisada, com ferramentas e equipamentos alojados em armazenamento de longo prazo. A Boeing Global Services reviveu o ferramental e ativou a base de fornecimento dentro de 12 meses após a adjudicação do contrato. A experiência anterior da empresa com o A-10 inclui a entrega de outros 173 conjuntos de asas A-10 aprimorados sob um contrato separado.

Também chamado de Warthog, o A-10 é hoje o único avião de ataque dedicado da frota dos EUA. Apesar da USAF ter tentado aposentar o A-10 diversas vezes ao longo dos anos, o avião segue firme e forte na frota, recebendo atualizações e reparos de longo prazo, como as novas asas e a integração de novos armamentos avançados. Apesar de ser uma aeronave veterana, o A-10 permanece relevante mesmo contra certa ameaças modernas.