Arte do F-15X da Boeing Foto: Boeing

A Boeing tem interesses em apresentar o F-15X para a Índia, visto que o país asiático tem interesse em modernizar sua força aérea. Inclusive tem um outro norte-americano na disputa do concurso de longa data o F/A-18E/F.

A Marinha da Índia confirma que solicitou autorização do governo dos EUA para oferecer o tipo bimotor para um requisito da força aérea indiana para 110 caças.

“Enquanto aguardamos mais definições sobre os requisitos da força aérea indiana, solicitamos uma licença para o F-15, para que possamos compartilhar todo o espectro de possíveis soluções em todo o nosso portfólio de caças, quando apropriado”, diz a empresa.

“Continuamos a oferecer o Super Hornet F/A-18 para a marinha indiana e a força aérea indiana, e nosso F-15 está experimentando um ressurgimento do interesse nos EUA e em todo o mundo”.

Além disso vale lembrar que a Índia está recebendo seus caças Rafales, o que aumenta ainda mais o poder de fogo aéreo do país.

Foto – Divulgação

Em resposta ao site Flight Global, a Boeing declarou que estava respondendo uma pergunta após uma reunião de 9 de fevereiro com Kelli Seybolt, vice-secretário da Força Aérea para assuntos internacionais, que revelou que a Boeing havia solicitado uma licença de exportação para a Índia para o F-15EX.

As conversas possibilitaram dar um rumo satisfatório em relação a nova versão do Eagle. Isso porque discussões entre a Boeing e autoridades da índia poderão acontecer, em conformidade com o Regulamento Internacional de Trânsito em Armas dos EUA.


A decisão da Boeing ofereceria a mais recente variante EX do F-15 de longa duração para Nova Délhi. Os aprimoramentos em relação às iterações anteriores incluem um radar de matriz digitalizado eletronicamente e carga útil aprimorada.

A entrada potencial do F-15 no concurso é a mais recente reviravolta em mais um exercício de compras indiano complicado. Após o colapso de sua aquisição de caças MMRCA (Medium Multi-Role Combat Aircraft) em 2015, Nova Délhi reiniciou o requisito, inicialmente como uma aquisição de um tipo de motor único, que posteriormente foi ampliada para incluir aeronaves bimotores.

F-15X Foto: Boeing

Os prováveis ​​candidatos ao novo requisito mal definido já representam quem é quem virtual de aeronaves de combate. Eles incluem o Lockheed Martin F-16V monomotor – apelidado de F-21 para o concurso indiano – e Saab Gripen E / F, o Eurofighter Typhoon, o Super Hornet. Bem como a provável participação da Rússia com oferta de caças RAC MiG-35 e Sukhoi Su-35.

Para a oferta da força aérea, os concorrentes se mostraram muito dispostos a oferecer uma ampla participação industrial em Nova Délhi, de acordo com o programa “Make in India” do primeiro-ministro Narendra Modi.

“Espera-se que o programa trabalhe com vários fornecedores indianos para desenvolver uma próspera base aeroespacial de defesa, o que poderia acelerar outros programas”, disse a empresa. “A instalação criará uma força de trabalho aeroespacial altamente treinada e de classe mundial”.

 

DEIXE UMA RESPOSTA