Boeing volta a produzir o 737 MAX

Foto - Paul Gordon/Boeing

A Boeing retomou nesta semana a produção do 737 MAX na fábrica da empresa em Renton, Washington (EUA), inicialmente com uma taxa de produção lenta e com várias medidas de segurança e distanciamento social, para evitar a propagação do coronavírus.

“Estamos em uma jornada contínua para desenvolver nosso sistema de produção e torná-lo ainda mais forte”, disse Walt Odisho, vice-presidente e gerente geral do programa 737. “Essas iniciativas são o próximo passo na criação do ambiente ideal de construção do 737 MAX”.

Apesar de retomar a produção que foi paralisada em janeiro, por falta de espaço para armazenar aeronaves, a Boeing ainda não conseguiu certificar novamente o 737 MAX, e a estimativa mais otimista aponta para uma certificação em agosto deste ano.

Foto – Boeing/Reprodução

A Boeing diz que a produção do 737 vai aumentar gradualmente ao longo deste ano, já utilizando novos métodos criados nesses cinco meses de paralisação, para evitar erros de montagem e novas multas da FAA.

“As etapas que adotamos na fábrica ajudarão a impulsionar nossa meta de 100% de qualidade para nossos clientes, além de apoiar nosso compromisso contínuo com a segurança no local de trabalho“, disse Scott Stocker, vice-presidente do 737 Manufacturing. 

 

DEIXE UMA RESPOSTA