Singapore Airbus A380
Foto: Singapore Airlines

A aviação mundial passou por meses de completa insegurança em relação ao futuro, o foco do mercado mudou e até mesmo o planejamento de aeronaves mudou. Uma das principais ‘vitimas’, o Airbus A380, o gigante avião europeu agora aparece bem menos nos aeroportos do mundo todo. 

A Emirates, apesar de não ter sido o cliente lançador, ainda segura sua grande frota de Airbus A380 pelo menos até um pouco depois de 2030. A empresa será a detentora dos últimos aviões do tipo produzidos.

Por outro lado, a companhia que iniciou a trajetória do ‘superjumbo’ pelo mundo, a Singapore Airlines, já aposentou diversas aeronaves A380 antes mesmo da pandemia.

A companhia recebeu o primeiro exemplar em 2007, desde então operou 24 aeronaves do tipo e aposentou sete delas. 

A Singapore retomou voos com o Airbus A380 ao final de 2021, inicialmente como aeronaves cargueiras em ajuda no transporte de vacinas, porém logo depois foi restabelecido o transporte de passageiros.

Com 12 unidades do A380 na frota da Singapore, estes jatos são configurados com 471 assentos, sendo seis suítes de luxo, 78 poltronas na classe executiva, 44 assentos na econômica premium e 343 na classe econômica, a volta do A380 da Singapore também representa o retorno de uma das configurações de cabine mais luxuosas da atualidade. 

A companhia não deixou claro por quanto tempo ainda pretende operar seus ‘superjumbo’ mas seguem oferecendo uma das melhores experiências em voo.

Algumas aeronaves A380 mais antigas da empresa foram aposentadas e não foram repassadas à outras companhias. Boa parte dessas aeronaves estão gradativamente sendo desmontadas.

Foi registrado em Tarbes na França o antigo 9V-SKD já sem seus motores, partes da fuselagem e até mesmo sem o pedaço do ‘Wingtip’ nas asas. 

A aeronave havia sido recebida pela Singapore em 2008 tendo sido retirado da frota em 2017 e armazenado em Tarbes. 

Ainda havia uma esperança da retomada de voos com este Airbus A380, pois foi vendido para o Grupo Dr. Peters de investimentos e recebeu uma nova matrícula, 9H-DPD. Porém, não houve registro de nenhum voo após a venda que depois foi repassado à Tarmac Aerosave.

A Tarmac Aerosave é uma empresa que realiza desmontes de aeronaves armazenadas além de prestar também manutenção. Realiza também a venda de peças ainda importantes para o mercado de manutenção de aeronaves.

As peças ou ‘sobras’ das aeronaves, também passam pelo processo de reciclagem.

Com o passar do tempo e as mudanças nos mercados de aviação pelo mundo, é quase improvável que boa parte dos Airbus A380 estacionados nos espaços da empresa voltem a voar.

A Airbus mantém ativo o ‘superjumbo’ número 001 como uma aeronave de demonstração e testes de desenvolvimento de novos produtos. 

Seu provável destino final será um museu, pois foi a maior aeronave já construída pela fabricante europeia e sua história será sempre lembrada apesar de não ter sido tão vendida como seu rival o Boeing 747.