Flamengo Libertadores Azul Linhas Aéreas A320

O Airbus A320neo está completando 5 anos de operações pela Azul Linhas Aéreas, o primeiro voo do modelo na companhia aconteceu no dia 1º de dezembro de 2016, na rota partindo de Campinas para Salvador operado pela aeronave de matrícula PR-YRA que foi entregue à Azul em outubro de 2016.

A companhia formalizou a encomenda ao final de 2015 em um investimento de US$ 3,6 bilhões para 35 aeronaves A320neo, que logo depois se tornaram 63 aeronaves. Desde meados de 2013, a Azul já estudava a possibilidade e incorporar uma aeronave maior para seus voos domésticos, entre as opções além do A320neo também foi avaliado o Boeing 737 MAX.

Até 2016, a companhia aérea fundada por David Neeleman operava aeronaves Embraer 190 e 195 junto aos ATR 72-600 para voos domésticos e o Airbus A330-200 para voos internacionais. 

A implementação do Airbus A320neo permitiu a companhia aérea ampliar sua oferta de assentos em voos para praticamente todas as localidades onde a companhia operava os jatos da Embraer. A versão -195 tem capacidade para transportar 118 passageiros, já os novos A320neo chegaram com a configuração para 174 passageiros, consumindo a mesma quantidade de combustível. 

A Azul foi uma das primeiras companhias aéreas a contar com o novo avião, pouco antes a Avianca Brasil recebeu o modelo e a LATAM foi a primeira companhia aérea a receber o modelo na América do Sul. 

Interior do novo avião com 174 assentos.

Segundo David Neeleman na época, a escolha pelo avião europeu se deu por conta do conforto e custos operacionais. Atualmente a frota da empresa é composta por 43 aeronaves, a última recebida foi o PR-YSH que possuí a pintura especial da Disney em alusão ao Mickey Mouse.

Atualmente, 45 aeronaves estão em operação pela Azul que também opera quatro A321neo com mais duas aeronaves para chegar em breve.

Falando em pinturas especiais, a Azul seguiu sua tradição e implementou em um de seus A320neo a pintura em apoio ao Outubro Rosa, mês de conscientização da prevenção e combate ao câncer de mama. 

Inicialmente as novas aeronaves ficaram em rotas de maior demanda, como voos de São Paulo (Guarulhos e Campinas) para Brasília, Salvador, Fortaleza, Belo Horizonte, Porto Alegre, algumas das rotas o novo avião substituiu o Embraer 195 e em outras se tornou um complemento a operação.

A medida que chegavam mais aeronaves, o jato da Airbus se tornava a ‘espinha dorsal’ da Azul para seu crescimento no mercado doméstico. Os motores escolhidos pela empresa foram os CFM Leap 1A por ter um conceito clássico, sem caixa de engrenagens, e mesmo assim ser bem mais eficiente e levando em consideração os problemas enfrentados pelos motores Pratt & Whitney no qual a LATAM escolheu para seus aviões.

Com a configuração em 174 assentos, a Azul escolheu assentos em couro nas tonalidades mais claras para dar uma sensação de amplitude. As primeiras aeronaves não vieram com sistema de entretenimento instalado completamente, isso porque na época a companhia aérea buscava a homologação para a empresa Thales realizar a instalação e configuração do serviço nos A320neo.

Aproximadamente de meados de 2018 até os dias atuais, as aeronaves chegam para a empresa com todo o sistema instalado. Em suas instalações no Aeroporto Internacional de Viracopos, a Azul realiza a implementação de todo o sistema de entretenimento incluindo TV Ao Vivo e internet via Wi-Fi.

Para ampliar suas operações em rotas de grande demanda, a Azul buscou atualizar suas aeronaves com o pacote SHARP oferecido pela Airbus. O pacote de atualizações viabiliza o A320neo a operar com segurança em pistas menores como as do Aeroporto Santos Dumont no Rio. 

Tradicionalmente o pacote SHARP inclui mudanças consideráveis no A320neo, como motores de 26000 a 29000 libras de empuxo, modificações no controle de software de voo, que foi alterado para entender as atualizações físicas, que abrangem os freios de carbono e as superfícies aerodinâmicas móveis, com possibilidade de abertura de até 60º dos spoilers (freios aerodinâmicos que são localizados acima das asas).

A Airbus também modificou um painel na raiz da asa, anteriormente feito de material composto com Kevlar, para um novo do tipo Fairing Filet Fairing, resultando em menor arrasto e melhor desempenho de pouso.

Os técnicos podem aumentar a potência para 29000 libras somente com uma atualização de software, ou em casos mais complicados, o motor pode ser retirado para uma revisão, antes de receber a potência adicional.

Pequenas pinturas podem ser realizadas no hangar, como a nova padronização da logo da Azul.

Com a atualização, o motor passa a ser indicado como CFM Leap-1A29, referente ao empuxo da aeronave. Indicações de 29K são colocadas no cockpit, mas de qualquer modo, o computador da aeronave indica aos pilotos a versão do motor, bem como a nova versão do avião, A320-253N.

A maior potência possibilita que a aeronave decole com maior peso, podendo operar com a capacidade máxima, para a mesma distância de pista. Assim, a companhia pode utilizar melhor o porão para o transporte de cargas da Azul Cargo Express.

A receita da companhia aérea aumenta com essa possibilidade de colocar mais carga em seus voos, especialmente a partir do Aeroporto de Congonhas e Santos Dumont.

Foto: Gabriel Melo/Aeroflap

 

DEIXE UMA RESPOSTA