A Azul recebeu nesta quinta-feira (12/09), em uma cerimônia especial realizada na Embraer de São José dos Campos (SP), o primeiro avião Embraer E195-E2 da sua frota, um jato de nova geração lançado pela fabricante brasileira recentemente.

“A entrega de hoje é uma oportunidade muito importante”, disse John Slattery, Presidente e CEO da Embraer Aviação Comercial. “A maior aeronave comercial que a Embraer já produziu. Os passageiros vão adorar o novo interior, e as empresas aéreas vão se impressionar com uma extraordinária eficiência operacional. O jato é, sem dúvida, ideal para o modelo de negócios da Azul e o portfólio da frota da AerCap. Estou orgulhoso de toda a equipe da Embraer que trabalhou muito para esse dia”, completa.

“Nos últimos 10 anos, a Azul revolucionou o mercado de aviação brasileira. Ajudar a dobrar o mercado doméstico, incluindo serviço aéreo em diversas regiões, cidades e comunidades que nunca tiveram voos antes, será tudo a partir das aeronaves Embraer E195-E2. Agora, com o E195-E2, estamos prontos para dar início a um novo capítulo da história da aviação brasileira. Não poderia estar mais orgulhoso de voar ainda mais alto com uma aeronave construída com tecnologia e inovação brasileira”, disse David Neeleman, fundador e presidente do conselho da Azul. “O E2 representa um grande passo na transformação da frota da Azul, potencializando ainda mais a expansão de nossas margens”, continuou Neeleman.

David Neeleman, fundador da Azul.

“Todos na AerCap estão entusiasmados por entregar o primeiro Embraer E195-E2 da Azul. Não há dúvida de que esse incremento da aeronave levará duas líderes brasileiras a um novo patamar. Desejamos à Embraer e à Azul todo o sucesso com o programa E-Jets E2 e estamos ansiosos em trabalhar com duas empresas por muitos, muitos anos”, disse Aengus Kelly, CEO da AerCap.

“O Brasil precisa de ter 150 milhões de pessoas voando”, disse David Neeleman, fundador da Azul.

“John Rodgerson (Presidente da Azul) estava me dizendo que o E195-E2 era aquilo que a Azul esperava, quando encomendou a aeronave“, disse John Slattery, presidente da Embraer.

Conhecida por ser uma cliente de aviões da Embraer, desde a sua fundação, a Azul encomendou um total de 51 jatos E195-E2, e se destaca como a cliente de lançamento deste modelo em todo o mundo.


A aeronave está equipada com 136 assentos em classe econômica, e distribuição 2-2, algo possibilitado pela expansão da fuselagem realizada pela Embraer. Em comparação com um E195 de 1ª geração, que tem 38,65 metros de comprimento, o novo E195-E2 tem 41,5 metros de comprimento.

O E195-E2 pode operar no Aeroporto Santos Dumont, localizado no Rio de Janeiro, e a primeira rota comercial a ser operada pela nova aeronave será entre Campinas (Viracopos) a Brasília, em outubro deste ano.

John Rodgerson, presidente da Azul Linhas Aéreas.

“Queremos mostrar para o governo nossa nova aeronave”, John Rodgerson, Presidente da Azul.

“Um exemplo da economia do E2, nós decolamos de Brasília através de 5 a 6 voos por dia, com o E195-E1, na nova geração mantemos o mesmo valor gasto por esses voos mas podemos saltar para 8 voos diários”, disso John Rodgerson, Presidente da Azul.

A envergadura também aumentou de aproximadamente 28 metros (1ª geração), para 35,1 metros, e agora fornece um melhor desempenho para o novo E195-E2.

O novo avião da Azul deverá começar a operar voos comerciais na companhia em outubro deste ano.

Destacamos a presença do Espaço Azul nas primeiras filas (encosto de cabeça azul escuro), como no Embraer E195 de 1ª geração, e em outros aviões da companhia, como o Airbus A320neo.

Destaque para a modernidade do interior, os novos bins com mais espaço para malas de mão, e também o menor nível de ruído, este último é um detalhe que todos os passageiros devem sentir ao voar no novo E195-E2.

A partir de janeiro os E195-E2 terão internet via satélite a bordo, com distribuição na cabine por Wi-Fi.

De acordo com John Rodgerson, o preço do Wi-Fi da Azul será “quase de graça”. A companhia vai manter o serviço de TV ao Vivo. Os clientes diamantes terão internet Wi-Fi de graça, nos voos da empresa.

 

Economia de combustível

O Embraer E195-E2 é equipado com dois motores PW1900G.

Além desse acréscimo de assentos, o E195-E2 não cobra nada a mais em consumo para oferecer essa capacidade extra, ao contrário, ele proporciona uma economia de combustível na ordem de 15% comparando com a geração anterior e uma redução de custo de transporte por assento ainda maior, de até 26%, devido ao maior espaço interno.

“Mais de 500 dos nossos 870 voos diários ainda são realizados pela primeira geração [dos E-jets]. No futuro, todos eles serão realizados pelo E2, resultando em um custo 14% menor e 10% a mais de receita em cada voo”, disse David Neeleman, um dos fundadores da Azul, durante uma entrevista.

O novo avião da Azul deverá começar a operar voos comerciais na companhia em outubro deste ano.

O E195-E2 apresenta novos motores de alto desempenho do modelo PW1900G, asas completamente novas, fly-by-wire completo e um novo trem de pouso. Em comparação com a primeira geração do E195, 75% dos sistemas da aeronave são novos.

 

Pintura

Para o primeiro Embraer E195-E2 da sua frota, a Azul escolheu uma pintura especial, cobrindo a fuselagem inteira com um tom de azul escuro, sendo que a parte traseira é revestida por palavras que descrevem as metas da Azul.

Um segundo E195-E2 da Azul também deve ser equipado com uma pintura especial, agora alterando o azul para o rosa, devido à campanha Outubro Rosa.

Esse E195-E2 rosa deverá fazer companhia a outros aviões com pintura similar na frota da companhia, como um ATR e um A320neo.

“Este E2 é dedicado aos nossos funcionários. Criamos uma pintura especial para esta aeronave, que celebra os Valores que norteiam nossas decisões e ações aqui na Azul. Quero agradecer aos nossos mais de 13 mil Tripulantes pela dedicação e o compromisso na construção da melhor companhia aérea do mundo. Sem esse time, esse dia não seria possível”, diz John Rodgerson, CEO da Azul. “Hoje, ainda temos que substituir para nova geração de aeronaves mais da metade de nossos 900 voos diários. Cada novo avião que chega, nos permite oferecer uma experiência ainda melhor para nossos Clientes, além de reduzir nossos custos e aumentar nossa receita”, conclui Rodgerson.

 

Atualização do Cockpit

O cockpit do E2 apresenta avançada aviônica integrada Honeywell Primus Epic 2.

Juntamente com os controles fly-by-wire, os sistemas trabalham juntos para melhorar o desempenho da aeronave, diminuir a carga de trabalho do piloto e reforçar a segurança de voo. Note a presença do tradicional manche da Embraer, para padronizar os controles com a 1ª geração.

Os pilotos da primeira geração de E-Jets precisam de apenas 2,5 dias de treinamento e sem a necessidade de um simulador de voo completo para pilotar o E2, o que diminui a carga de treinamento e economiza tempo e dinheiro para as companhias aéreas. 

 

Certificação

Foto – Embraer/David Branco

Em abril, o E195-E2 recebeu certificação de tipo simultaneamente de três importantes autoridades reguladoras mundiais – a ANAC (Agência Brasileira de Aviação Civil), a FAA (Administração Federal de Aviação dos EUA) e a EASA (Agência Europeia de Segurança da Aviação).

Testes em voos confirmará que a aeronave ainda é melhor para usar o consumo on-line. O consumo de combustível é 1,4% menor do que o esperado, chegando a 25,4% de economia por uso registrado no E195 da primeira geração. Já os custos de manutenção são 20% menores e o E195-E2 é um avião mais ambientalmente amigável da categoria, operando com o

A Embraer utilizou dois protótipos da aeronave durante a campanha de certificação do E195-E2 – um para testes aerodinâmicos e de desempenho e outro para validar o interior e tarefas de manutenção.

 

Manutenção das aeronaves

A Embraer anunciou neste ano, na 53ª edição do Paris Air Show International, que assinou com a Azul Linhas Aéreas Brasileiras S.A. um contrato de longo prazo para um programa de suporte de peças reparáveis à nova frota da companhia aérea de jatos E195-E2, a segunda geração de aeronaves comerciais da família de E-Jets da Embraer.

O contrato com duração de vários anos inclui serviços de engenharia e manutenção avançada de peças a partir dos armazéns de componentes da Embraer em Fort Lauderdale, na Flórida (EUA).

Com este novo contrato de suporte, a companhia aérea passa a ter cobertura para toda a sua frota de jatos Embraer.

Assim como o E190-E2, o E195-E2 também terá os intervalos de manutenção mais longos no mercado de aviões de corredor único, com 10 mil horas de voo para atividades básicas de manutenção e sem limite de calendário para utilizações típicas. Isso significa 15 dias a mais para utilização da aeronave em um período de dez anos, comparado à atual geração de E-Jets.

Entregas em 2019

A Azul deve receber até o fim de 2019 cerca de seis aviões E195-E2, e estes vão ajudar a companhia a atingir 55% da oferta de assentos através de aeronaves de nova geração, diminuindo os gastos da empresa com combustível.

 

Melhorias no desempenho do E195-E2

As metas de desempenho do E195-E2 deveriam ser semelhantes às do E195, mas com mais carga útil (adição de 12 passageiros). Os resultados, no entanto, mostram melhorias significativas em muitos aspectos, implementadas no processo de projeto da aeronave.

Alcance – A autonomia máxima é de 2600 milhas náuticas (4800 km) com carga total de passageiros, 600 milhas náuticas a mais que o E195.

Aeroportos Restritos – O E195-E2 poderá atender mais mercados que contam com aeroportos com restrições de operação. De Denver, o alcance da aeronave é de 900 milhas náuticas mais longo do que o do E195. Do Aeroporto Santos Dumont, no Rio de Janeiro, o ganho é mais de 500 milhas náuticas.

Comprimento da área de decolagem – No peso máximo de decolagem (MTOW), na sigla em inglês), o E195-E2 requer apenas 1800 metros, enquanto o E195 precisa de 2180 metros.

 

 

Matéria em texto produzida por Pedro Viana e André Magalhães, com colaboração nas fotos e edição por Pedro Viana, Gisele Orquídea e Matheus Felipe.