Embraer Ipanema
Foto - Embraer

Inovação, produtividade, conforto, segurança e eficiência operacional foram os principais destaques do encontro de operadores do avião agrícola Ipanema, realizado pela Embraer ontem, em Botucatu, interior de São Paulo.

O evento reuniu produtores rurais, proprietários de aeronaves, prestadores de serviço aeroagrícola, representantes de oficinas homologadas, revendas de peças e pilotos. 

Além da troca de experiências, boas práticas e debates sobre o atual momento do setor de aviação agrícola no país, o encontro também proporcionou a oportunidade de acompanhar de perto o processo de manufatura das aeronaves Embraer, incluindo o avião Ipanema, bem como as atualizações tecnológicas que estão sendo implantadas no produto, que está em sua quinta geração e evolui continuamente.

Para Sany Jaques Onofre, gerente do negócio de aviação agrícola da Embraer, o encontro reforça o compromisso da empresa em trazer as mais recentes inovações tecnológicas para o setor e demonstra a confiança dos operadores na aeronave Ipanema, que é símbolo eficiência e produtividade no agronegócio nacional.

“A longevidade do Ipanema é resultado dos investimentos que realizamos continuamente na aeronave, no sistema produtivo e em toda rede de suporte e serviços. Ao reunir tradição, confiabilidade e alta tecnologia conseguimos proporcionar um alto nível de satisfação aos nossos clientes, e um reflexo disso tem sido o expressivo aumento das vendas nesses últimos anos.”

Líder do mercado de aviação agrícola nacional com 60% de participação e com mais de 1.500 aeronaves produzidas e entregues, a série Ipanema continua em plena evolução para atender as mais diversas necessidades dos operadores.

Em 2023, a aeronave Ipanema EMB-203, o modelo mais recente da aviação agrícola da Embraer terá novidades como conectividade USB, nova geração de caixa de manetes e bomba mecânica de combustível, opção de encosto da cadeira, novo sistema de portas, opções de magnetos, pintura em poliéster e novos benefícios de manutenção simplificada da asa, que também poderá ser adotada pela frota atual de aeronaves Ipanema em operação.

“Essas atualizações tecnológicas são fruto da interação contínua com os clientes, esforços da engenharia de desenvolvimento do produto e a experiência das equipes que acompanham diariamente as operações em campo”, complementa Sany. 

“Foi interessante conhecer de perto as principais etapas de produção do Ipanema e ter mais detalhes da aeronave. O convite e o evento foram muito bem recebidos pelos clientes”, afirma Guilherme Aleixo, do Grupo Nova Sorocabana.

Ferramenta essencial para o agronegócio do Brasil, a eficiência, produtividade, economia e robustez do avião agrícola da Embraer se reflete em números. Em 2021, a empresa entregou 42 unidades do Ipanema, um aumento de 90% em comparação a 2020. Para este ano, a expectativa é entregar entre 50 e 55 aeronaves.  

Movido a etanol desde 2005, o Ipanema se tornou o primeiro avião da Embraer certificado e produzido em série para voar com energia renovável, liderando uma ampla frente de atuação histórica da companhia em pesquisas e utilização de biocombustíveis na aviação.