No último relatório divulgado pela Associação de Fabricantes de Aviação Geral (GAMA), foi apresentado que, no geral, o número de entregas de aeronaves, considerando aeronaves convencionais, jatos, helicópteros e turboélices, cresceu cerca de 10,6% em comparação ao 3º trimestre do ano anterior. O maior destaque está ligado à entrega de helicópteros, tanto convencionais quanto de turbina.

O número de helicópteros entregues apresentou aumento de 20,4%, com 236 unidades entregues, 40 unidades a mais em comparação com o 3º tri do ano anterior, somando US$ 966,2 milhões contra US$ 797,1 em 2017.

Em relação às aeronaves convencionais, houve um aumento de 11,7% no número de entregas, com 286 aeronaves. A entrega de jatos apresentou aumento de 8,7%, com 150 unidades entregues. Já os turboélices tiveram queda de 3,6%, entregando 5 unidades a menos que o 3º tri de 2017.

Comparação da entrega de aeronaves – 3º tri de 2017 e 2018.

Sobre as entregas de aeronaves por região, considerando apenas aeronaves convencionais, jatos e turboélices, a América do Norte segue liderando o número de entregas à Aviação Geral e também com aumento de entregas em relação ao 3º tri de 2017.

A América do Norte representou 78% do total de entregas, com aumento de 9,7% nas aeronaves entregues em relação ao mesmo trimestre do ano anterior.

O continente Europeu representou 19% das entregas, porém com uma redução de quase 1% nas entregas. O resto do mundo representou 2,5% das entregas, com aumento de 7,7% no número de entregas.

A América do Sul, no trimestre considerado, representou 0,5% do total de aeronaves entregues, apresentando novamente redução de aeronaves entregues, redução essa de 40%.

A América do Sul passa dificuldades econômicas, países importantes do continente, como Venezuela, Argentina e Brasil se depararam com a valorização do dólar e das altas taxas de juros nos bancos americanos. O resultado, são os EUA atraindo investimentos e os países da América do Sul crescendo em um ritmo menor do que o esperado, não podendo contribuir tanto com a entrega de aeronaves.

 

Via – Instituto Brasileiro de Aviação