Escola de Especialistas de Aeronáutica completa 80 anos

Há 80 anos, nascia a Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR), conhecida como o “Berço dos Especialistas”. Em oito décadas, a escola já formou mais de 50 mil homens e mulheres. A EEAR tem por finalidade a formação e o aperfeiçoamento de graduados da Aeronáutica, oferecendo 28 diferentes áreas profissionais para o cumprimento da missão da Força Aérea Brasileira (FAB).

Fruto da fusão das escolas de formação de sargentos da Marinha do Brasil e do Exército Brasileiro, a EEAR nasceu em 1941, período em que o mundo passava por momentos críticos com o transcorrer da II Guerra Mundial. No mesmo ano, um pouco antes do surgimento da Escola, era criado o Ministério da Aeronáutica, que impulsionou a aviação militar e civil no Brasil.

Instalada no Rio de Janeiro, a Escola formou a primeira turma em 1942 com apenas 32 integrantes. Mas, com a entrada do Brasil no conflito, houve a necessidade de acelerar a formação do pessoal. Como solução imediata, muitos militares e civis foram enviados aos Estados Unidos para a realização de cursos, de modo que pudessem satisfazer às necessidades da FAB. Porém, por ser muito oneroso, o envio de militares começou a sofrer restrições. Após novos estudos, decidiu-se por contratar a organização John Paul Riddle Aviation Technical School, que instalou no Brasil, na cidade de São Paulo, uma Escola Técnica de Aviação (ETAv) com todo o acervo, como também técnicos, professores e administradores. A ETAv passou a complementar a formação de especialistas, suprindo as carências então verificadas.

Com o término da Grande Guerra, embora a necessidade de técnicos para manter as diversas Unidades criadas ainda fosse grande, houve certa estabilização na formação de pessoal. Verificou-se, então, que já não era necessário existirem duas escolas com a mesma finalidade e que, consequentemente, estava havendo dispersão de meios.

Já na década de 1950, ocorre a transferência da EEAR para Guaratinguetá (SP), nas dependências da antiga Escola Prática de Agricultura, doadas ao Ministério da Aeronáutica em 05 de maio de 1950. A transferência foi feita progressivamente à medida em que as estruturas eram construídas e adaptadas. A região do Vale do Paraíba abriu as portas para que gerações aquecessem o mercado de profissões.

O atual Comandante da EEAR, Brigadeiro do Ar Antonio Luiz Godoy Soares Mioni Rodrigues, passou pela Escola antes de se tornar oficial. “As emoções que me envolvem o coração são as mesmas de 35 anos atrás, quando ingressei pelos portões da EEAR como aluno, sem jamais supor que o Criador e que a Força Aérea reconduzir-me-iam ao Berço dos Especialistas, agora como Comandante”, disse.

O Brigadeiro Soares destaca, ainda, sobre a formação dos sargentos especialistas da EEAR. “Tenho a plena convicção de que a Aeronáutica poderá contar, por muitos e muitos anos com homens e mulheres de excepcionais qualificações, formados sob a égide do código ‘Disciplina, Amor e Coragem’, dispostos a contribuir, de forma abnegada e zelosa, para com a missão de manter a soberania do espaço aéreo e integrar o território nacional, com vistas à defesa da Pátria”, conclui.

 

Fonte: Força Aérea Brasileira

Fotos: Sargento Bianca Viol/CECOMSAER e Arquivo FAB