Este é o novo Airbus A220 da JetBlue

Airbus A220 JetBlue

A companhia aérea fundada por David Neeleman, a JetBlue, revelou hoje (19) o primeiro Airbus A220-300 da sua frota, uma aeronave que também deve mudar o conceito de voos da companhia, criando uma nova padronização de aviões narrowbody.

Apesar da crise, a JetBlue diz que as entregas do A220 são positivas, visto que renovam a frota da companhia, ao mesmo tempo que a mesma retira aviões mais antigos e menos eficientes.

Para celebrar a chegada do seu primeiro A220, a JetBlue criou um design exclusivo para seu estabilizador vertical. Chamado de “Hops”, o design representa “a ideia de conectar muitas viagens curtas como parte de uma jornada maior”.

A chegada dos A220 começará a diminuir a idade média da frota na JetBlue. Atualmente, a companhia aérea possui uma idade de frota de pouco mais de 10 anos, devido aos aviões Embraer E190, algumas dos quais com quase 16 anos de idade.

O Airbus A220 está substituindo diretamente alguns aviões do modelo Embraer E190 e alguns Airbus A320 (futuramente).

As outras aeronaves mais antigas são os A320-200 da companhia, alguns dos quais têm cerca de 20 anos de idade. O mais antigo deles começará a sair quando os A321 da companhia aérea chegarem. 

 

Interior

O novo avião da JetBlue deverá ter 140 assentos, em uma configuração de Classe Econômica, mas com presença da Premium Economy nas primeiras fileiras. A configuração de fileira deverá ser no clássico 3-2 da aeronave da Bombardier, que comporta mais passageiros.


Vale ressaltar que o A220-300 pode ser configurado com até 160 assentos.

Isso permitirá que o assento na Econômica Padrão tenha cerca de 32 a 33 polegadas de espaço, ampliando o conforto para o passageiro, principalmente comparando com outras companhias americanas.

A Swiss e a Air Baltic utilizam o A220-300 com 145 assentos em classe única, e mesmo assim oferecem um espaço de 34 polegadas na Economy Premium e 31 na Economy.

Com todo esse conforto o foco é atrair o mercado corporativo principalmente em Boston.

A JetBlue estima que a A220 reduzirá os custos operacionais em 29% por assento, compreendendo uma redução de 40% nos custos com combustível e 22% nas despesas não relacionadas a combustível, quando comparada com a frota da Embraer E190. O lucro adicional por aeronave será entre US$ 4 a US$ 5 milhões, trimestralmente.

 

DEIXE UMA RESPOSTA