AIM-120 AMRAAM míssil
F-35A disparando um míssil Ar-Ar AIM-120 AMRAAM. Foto: Chad Bellay/Lockheed Martin

Noruega e Austrália receberam autorizações do governo dos Estados Unidos para a compra de mísseis ar-ar e ar-solo. As possíveis vendas totalizam um valor de US$ 1.18 bilhão e ainda devem ser aprovadas pelo Congresso. 

De acordo com os comunicados da Agência de Cooperação de Segurança e Defesa (DSCA), vinculada ao Departamento de Estado, o pedido mais caro é o da Noruega: US$ 950 milhões para 205 mísseis AIM-120D AMRAAM e outros 60 mísseis AIM-120 das versões D ou C-8.

O negócio ainda inclui quatro seções de orientação dos mísseis, bem como seções de controle, mísseis cativos e outros itens. Segundo a DSCA, os mísseis darão capacidade ar-ar avançada para os caças stealth F-35 noruegueses.

F-35 Noruega OTAN exercício
Caças F-35A da Noruega participarão do exercício Cold Response 2022. Foto: OTAN/Divulgação.

O AMRAAM é um míssil ar-ar guiado por radar ativo. Foi desenvolvido pelos EUA na década de 1980 para substituir o AIM-7 Sparrow, orientado por radar semi-ativo. O modelo, que está passando por atualizações, é o principal armamento do tipo em uso no mundo, com mais de 4.900 disparos de teste e 13 vitórias em combate real.

Já a Austrália (que também usa o AMRAAM encomendado pela Noruega) recebeu autorização para comprar mísseis AGM-158 Joint Air-to-Surface Standoff Missile – Extended Ranger (JASSM-ER). Canberra solicitou a aquisição de 80 destes mísseis na versão AGM-158B por US$ 235 milhões, bem como mísseis de treinamento, sistemas e software de suporte e apoio.

F/A-18F Super Hornet da Força Aérea Real Australiana. Foto: Bidgee (CC BY-SA 3.0 AU)

Assim como no caso da Noruega, a Austrália pretende empregar os novos mísseis no F-35, mas também em seus F/A-18 Super Hornet. 

Desenvolvido pela Lockheed Martin para as Forças Armadas dos EUA, o AGM-158 JASSM é um míssil de cruzeiro com características de baixa-observabilidade (stealth), em serviço com a USAF desde 2009. O armamento tem um alcance de 370 km e possui uma ogiva de 450 kg de explosivos, reforçada para a penetração de alvos como hangares e bunkers reforçados.

agm-158 míssil stealth EUA
Míssil AGM-158 Joint Air-to-Surface Standoff Missile (JASSM) da Lockheed Martin. Foto: Robert Frola via Wikimedia.

A variante JASSM-ER, adquirida pela Austrália, entrou em serviço em 2014, tem um alcance de 925 a 1000 km e também é base para o AGM-158C LRASM, novo míssil anti-navio de longo alcance para a Marinha dos EUA, atualmente em desenvolvimento.

Para os dois casos a DSCA esclarece que a proposta de venda dos equipamentos e suporte não alterará o equilíbrio militar básico das respectivas regiões. Mesmo com a luz verde da DSCA, as duas possíveis vendas ainda devem receber aprovação dos congressistas para serem concretizadas.