KLM
Foto: Matheus Felipe/Aeroflap

Ainda enfrentando vários problemas no Aeroporto de Schiphol, em Amsterdã, a KLM precisou cancelar todas as suas operações de voos com origem em cidades da Europa e destino à Schiphol, na noite deste último sábado (04/06).

De acordo com uma nota oficial em seu site, a KLM aponta que o cancelamento dos voos ocorreu por condições climáticas desfavoráveis, e manutenção da pista no Aeroporto de Schiphol. 

A companhia agora está lidando com diversos voos atrasados e cancelados, reflexo da última semana difícil, com quase 50 cancelamentos de voos por dia. A KLM promete aos clientes que operará o maior número de voos possíveis entre domingo e segunda, para reacomodar os seus clientes.

Alguns passageiros relataram que a KLM optou por voar com alguns aviões vazios para Amsterdã, a partir de cidades europeias. A decisão é curiosa, visto que problemas climáticos e de pista impedem pousos e decolagens em qualquer tipo de operação.

A companhia declarou que não transportou passageiros para Schiphol para evitar uma escalada dos problemas em Amsterdã, assim como facilitar as posteriores reacomodações.

“É incrivelmente lamentável que, além de tudo hoje, também estejamos lidando com a capacidade reduzida da pista em Schiphol como resultado de ventos desfavoráveis ​​e manutenção da pista. Apesar de intervir mais cedo para garantir operações viáveis ​​neste fim de semana, hoje foi outro dia extremamente difícil para nossos passageiros e tripulantes. Pedimos desculpas aos nossos clientes pelo inconveniente e estamos fazendo o possível para garantir que possamos retornar às operações viáveis ​​o mais rápido possível”, disse Rene de Groot, Diretor de Operações da KLM.

Assim como no Reino Unido, a KLM também enfrentou problemas ao longo dos últimos dias com falta de aeroviários e até mesmo greves destes. Para amenizar o problema a companhia divulgou na sexta-feira (03) que estaria testando um processo alternativo de manuseio de bagagem neste fim de semana.

Nesse novo procedimento a bagagem é carregada na aeronave mais tarde do que o habitual, para garantir que os auxiliares de rampa não precisem mais remover a bagagem pertencente aos passageiros que acabam perdendo o voo.