737-900ER em uso pela Lion Air.

O Boeing 737 NG está atualmente passando por um período de inspeções estruturais, para identificar possíveis rachaduras em uma peça chamada de “Pickle Fork”. Essa é uma obrigatoriedade para aqueles aviões com mais de 20000 ciclos.

Mas duas aeronaves da Lion Air, da família 737 NG, foram identificadas com rachaduras no componente “pickle fork”, todas com cerca de 22000 ciclos de uso.

Essas aeronaves estão sendo inspecionadas com base na recente diretriz da FAA, que solicitou revisão da parte estrutural da asa em aviões com mais de 20000 ciclos de uso, e da família 737 NG, que teve sua asa alterada em comparação com a linha 737 Classic.

O pedido exige que as companhias aéreas, dentro de sete dias a partir de 03 de outubro, inspecionem as aeronaves que acumularam mais de 30.000 ciclos de voo. As aeronaves que registraram entre 22.600 e 29.999 ciclos devem ser inspecionadas dentro de 1.000 ciclos adicionais, diz o pedido.

Todas as aeronaves afetadas pelas rachaduras tinham mais de 30000 ciclos. Este é o primeiro caso encarado pela Boeing de rachaduras em aviões com cerca de 20000 ciclos, algo que pode mudar os parâmetros de inspeção das aeronaves 737 NG.

De acordo com a Polana Pramesti, diretora geral de aviação civil da Indonésia, não há no momento planos que expandam as inspeções estruturais do 737 NG.

Cerca de 50 aviões foram afetados até o momento por rachaduras, incluindo 11 aeronaves da GOL.