BAe Hawk Mk.108 da RMAF. Foto: Malaysian Defence.

Na terça-feira (22), o Governo da Malásia abriu uma concorrência internacional para a compra de Aeronaves de Combate Leve e Treinamento de Pilotos de Caça (LCA/FLIT) para a Força Aérea Real Malaia (RMAF). Segundo o informe no site do Ministério da Defesa, o pedido de licitação encerra-se em 22 de setembro. 

Inicialmente, o país do sudeste asiático quer adquirir 18 aeronaves, sendo 10 em configuração de combate e oito para treinamento, informaram fontes da indústria ao portal Janes. A compra é parte do projeto Capability 55’ da RMAF, lançado em 2018, e prevê a aquisição, dividida em duas fases, de um total de 36 aeronaves de treinamento e combate leve. As aeronaves restantes serão adquiridas a partir de 2025. 

Os novos aviões de treinamento e combate leve da RMAF devem substituir os BAe Hawk Mk.108/208 e os Aermacchi MB-339CM e irão operar em conjunto com os F/A-18D Hornet e Su-30MKM Flanker-H. Segundo o Aerotime Hub, os MB-339 atualmente estão aterrados, e os MiG-29 Fulcrum foram recentemente aposentados. 

MB-339CM da RMAF. Foto: Alert5 via Wikimedia (CC BY-SA 4.0).

Uma licitação semelhante foi lançada em 2018, com o governo malaio recebendo propostas do KAI T-50 Golden Eagle da Coreia do Sul, o norte-americano Boeing/Saab T-7A Red Hawk, Leonardo M346 Master da Itália e o HAL Tejas indiano. No entanto, a aquisição não prosseguiu por falta de financiamento, explica o Aerotime.

Hawk Mk.208 da RMAF.

O anuncio da concorrência vem menos de um mês depois que jatos Mk.208 foram usados para interceptar uma formação de 16 aeronaves de transporte da Força Aérea Chinesa que chegaram a 110 quilômetros de Sarawak, um estado da Malásia na ilha de Bornéu. O ministro das Relações Exteriores, Hishammuddin Hussein, emitiu uma queixa formal à China, que minimizou o incidente, dizendo que as aeronaves, que estavam em treinamento, “cumpriram estritamente as leis internacionais pertinentes”.

Os Mk.208, juntamente com os F/A-18D, foram empregados em missões de ataque contra militantes armados durante um impasse em 2013. 

DEIXE UMA RESPOSTA