NASA Telescópio James Webb
Imagem: NASA

O presidente dos EUA Joe Biden divulgou a primeira imagem colorida do Telescópio Espacial James Webb da NASA na segunda-feira (11) durante um evento público na Casa Branca em Washington. Esta primeira imagem mostra as poderosas capacidades da missão Webb, uma parceria com a ESA (Agência Espacial Europeia) e a CSA (Agência Espacial Canadense).

“Essas imagens vão lembrar ao mundo que os Estados Unidos podem fazer grandes coisas e lembrar ao povo americano, especialmente nossos filhos, que nada está além de nossa capacidade”, disse o presidente Biden em seu discurso no evento.

“Podemos ver possibilidades que ninguém viu antes. Podemos ir a lugares que ninguém foi antes.”

A primeira imagem colorida de Webb mostra milhares de galáxias, incluindo os objetos mais fracos vistos na luz infravermelha até hoje.

“O primeiro Webb Deep Field não é apenas a primeira imagem colorida do Telescópio Espacial James Webb, é a imagem infravermelha mais profunda e nítida do universo distante tirada até hoje. Esta imagem cobre um pedaço do céu do tamanho de um grão de areia mantido no comprimento do braço. É apenas uma pequena fatia do vasto universo”, disse o administrador da NASA, Bill Nelson.

“Esta missão foi possível graças à engenhosidade humana: a incrível equipe da NASA Webb e nossos parceiros internacionais da Agência Espacial Europeia e da Agência Espacial Canadense. Webb é apenas o começo do que podemos alcançar no futuro quando trabalharmos juntos para o benefício da humanidade.”

NASA Telescópio James Webb
Foto: NASA

“Os cientistas estão entusiasmados com o fato de Webb estar funcionando e tão poderoso quanto esperávamos, muito mais poderoso que o telescópio Hubble, e que sobreviveu a todas as probabilidades de ser nosso olho dourado no céu”, disse John Mather, cientista-chefe. do projeto Webb no Goddard Space Flight Center da NASA em Greenbelt, Maryland.

“O que aconteceu depois do Big Bang? Como o universo em expansão esfriou e criou buracos negros, galáxias, estrelas, planetas e pessoas? Os astrônomos veem tudo duas vezes: primeiro com imagens e depois com imaginação e cálculos. nunca imaginamos, e ficarei tão surpreso quanto você quando o encontrarmos.”

O lançamento do Telescópio Espacial James Webb ocorreu no dia 25 de dezembro, a partir da Guiana Francesa. O confiável foguete Ariane 5 foi utilizado para colocar o gigante em órbita.

Foguete Ariane 5 antes do lançamento.  Foto: Arianespace

O novo telescópio é oriundo de um trabalho conjunto da NASA com a ESA (Agência Espacial Europeia) e a Agência Espacial Canadense. O James Web também é capaz de buscar informações acerca das primeiras galáxias no universo, incluindo uma ampla exploração do nosso sistema solar, incluindo: planetas, estrelas, além dos planetas que não fazem parte do nosso sistema solar (exoplanetas).

Graças à sua tecnologia infravermelha de observação, o James Webb consegue observar as primeiras estrelas e galáxias formadas há mais de 13,5 bilhões de anos, dando aos astrônomos a possibilidade de entender mais profundamente a origem do Universo.

Curiosamente, o espelho principal do Telescópio James Webb conta com cerca de 6,5 metros de diâmetro, o que justifica o seu transporte dobrado, já que seria impossível o seu transporte no foguete no seu formato aberto. 

Contudo, para que as asas do Telescópio se abrissem, foi necessário que a NASA realizasse “uma tarefa complexa e desafiadora”, se tornando o projeto mais importante para o futuro das pesquisas da agência norte-americana.

Mais de US$ 10 bilhões foram gastos neste projeto, com a promessa de finalmente descobrir os passos do universo desde o Big Bang. Agora, o James Webb poderá revelar novas e inesperadas descobertas e ajudar a humanidade a compreender as origens do universo e o nosso lugar nele.

Exemplo de trajetória do James Webb até chegar ao Ponto de Lagrange L2.