Presidente da Azul anuncia encerramento de acordo trabalhista 12 meses antes do prazo

A retomada da demanda, juntamente com a perspectiva de maior receita, fez a Azul Linhas Aéreas encerrar o acordo trabalhista fechado com seus aeronautas em meados da pandemia de COVID-19.

O ACT previa a redução de jornadas e salários por 18 meses, com validade até o último mês de 2021. Os pilotos e os comissários de bordo estavam sendo afetados pelo acordo, com redução das jornadas e dos salários dos mesmos.

De acordo com o vídeo gravado pelo John Rodgerson, presidente da Azul Linhas Aéreas, que pode ser visto acima, e compartilhado com os funcionários da aérea, o motivo é uma retomada da demanda acima do previsto anteriormente.

Além disso, Rodgerson esclarece que a Azul está com um caixa ainda mais firme, e incentiva os tripulantes a focar em melhorar os serviços na alta temporada, onde a aviação brasileira promete ter 80% da demanda registrada no mesmo período de 2019.

John ainda ressalta que a atitude deve ter impacto financeiro, mas no contexto dos tripulantes o melhor a ser feito no momento.

Durante a crise a Azul também anunciou outro importante acordo, envolvendo o leasing das aeronaves que operam na sua frota. Este fez a companhia economizar muito na crise, por contabilizar somente às horas de voo da aeronave que for utilizada, não os dias de uso.

O Sindicato Nacional dos Aeronautas vai fazer uma live hoje (23/11), explicando como funcionará o encerramento do acordo trabalhista.

 

 

DEIXE UMA RESPOSTA