Akbar Al Baker, presidente-executivo da Qatar Airways, confirmou que a companhia tem interesse em ser cliente de lançamento do novo avião de médio porte proposto pela Boeing, caso a fabricante decida lançar o projeto.

“A partir do que a Boeing me apresenta, eu estou extremamente interessado nesse avião e gostaria de ser um cliente de lançamento”, diz Al Baker.

Além de Al Baker, e consequentemente a Qatar Airways, a United e a Delta Airlines já disputam para ser a cliente de lançamento do avião, que pode atender um mercado ainda sem opções, onde as melhores são aviões com pouca capacidade de carga ou autonomia, ou aviões widebody pesados e com autonomia além das necessidades das empresas.

Oficialmente a Boeing mantém a previsão de lançar o NMA em 2020, caso prossiga com o projeto, mas também acredita que possa ocorrer algo no 2º semestre desse ano, dependendo do andamento do projeto, e de outros programas da empresa.

A Boeing já está em fase de projetar o novo avião, e continua com a meta de colocar a aeronave em serviço até 2025. A Delta disse anteriormente esperar que a Boeing consiga entregar um projeto com consumo 40% menor em comparação com o 767.

A Boeing poderia facilmente gastar mais de US$ 15 bilhões na NMA, de acordo com Ken Herbert, analista da Canaccord Genuity.