A-29 Super Tucano da Força Aérea das Filipinas.

Um aeronave de ataque leve Embraer A-29 Super Tucano da Força Aérea das Filipinas (PAF) ficou danificado ao pousar na Base Aérea de Clark após um Voo de Checagem de Equipamentos (ECF), informou a PAF em seu perfil no Facebook na minha de quinta-feira (08). 

De acordo com o comunicado da Força Aérea, o A-29 estava sob os comandos de um piloto instrutor brasileiroa da própria Embraer, enquanto o Wing Commander da 15ª Ala de Ataque estava no assento traseiro, atuando como passageiro/observador durante toda a duração do voo. A aeronave sofreu danos ao pousar em Clark AFB. O piloto e o passageiro não se feriram.

Aeronaves A-29 Super Tucano das Filipinas. Foto: Claudio Capucho/ Embraer.

“O Piloto Instrutor Brasileiro tinha total controle da aeronave e responsabilidade pelo voo. O Wing Commander era apenas um mero passageiro observando o desempenho e as características de voo da aeronave como parte de suas funções.”

O piloto brasileiro teria falhado ao não realizar uma arremetida, segundo a investigação realizada pela própria Embraer junto com a PAF. A fabricante “considerou o evento um pequeno incidente […] que normalmente acontece durante os voos.” A Força Aérea Filipina também informou que as peças e os técnicos já estão prontos para serem enviados ao país, com a Embraer fornecendo o material e o serviço de reparo sem custos. 

“Por contrato, a Embraer assumirá total responsabilidade pela aeronave durante todo o período de treinamento. Por isso, nesse período, todas as aeronaves Super Tucano só podem voar se um piloto da Embraer também estiver presente no voo.”

Segundo a PAF, os danos sofridos pela aeronaves são totalmente reparáveis: “Com base na avaliação da Embraer, a integridade estrutural da aeronave está bastante intacta e, com a substituição dos componentes que foram danificados, ela voltará ao estado operacional. Esse foi o compromisso assumido pela alta direção da Embraer e será colocado em operação o mais rápido possível.”

Os seis A-29 Super Tucano da Força Aérea Filipina na sede da Embraer em Gavião Peixoto. Foto: Embraer.

Este é o terceiro acidente seguido com uma aeronave militar das Filipinas. No dia 05 de julho, dezenas de pessoas morreram na queda de um C-130H HérculesNo final de junho, a queda de um S-70i Black Hawk com cerca de 9 meses se operação deixou seis militares mortos. 

As Filipinas receberam seis A-29 Super Tucano em outubro de 2020. As aeronaves saíram de São Paulo e passaram pelas Ilhas Canárias, Portugal, Malta, Egito, Bangladesh, Emirados Árabes Unidos, Índia, Tailândia e Vietnã até chegarem ao destino final no sudeste asiático. A operação foi realizada por 12 pilotos da Embraer. 

Em março deste ano o Governo Filipino confirmou que deseja aumentar para 24 o número de A-29 Super Tucano na frota da PAF, que também procura um novo caça de alta performance. A Força Aérea está analisando o F-16 Block 70/72 dos EUA e o JAS-39E/F Gripen E da Saab. Na semana passada, o Secretário de Defesa do país afirmou que o F-16 seria muito caro. 

DEIXE UMA RESPOSTA