F-35 b raf acidente
O F-35B resgatado do Mar Mediterrâneo é visto deitado de costas em um dos navios de resgate.

Circula nas mídias sociais uma imagem do caça F-35 da Força Aérea Real (RAF) que foi resgatado do fundo Mar Mediterrâneo. A aeronave, um F-35B de decolagem e pouso vertical, decolava do porta-aviões britânico HMS Queen Elizabeth quando caiu, em novembro de 2021. 

Na imagem é possível ver o caça stealth inglês a bordo de um dos navios envolvidos na operação de resgate. Ela mostra o F-35 ‘deitado de costas’ no convés da embarcação, com os trens de pouso estendidos, e as baias de armamento e do motor abertas. 

Não é possível ver a seção frontal da fuselagem, nem o cockpit, logicamente. Todavia, a aeronave aparenta estar em boas condições mesmo após passar três semanas no fundo do mar. Até o momento não se sabe a origem exata da foto.

Continua depois do anúncio

Em 17 de novembro de 2021, o F-35B de registro ZM152 caiu no Mediterrâneo ao tentar decolar do HMS Queen Elizabeth. O piloto ejetou e foi resgatado em seguida com ferimentos leves.

A queda do jato furtivo de 5ª Geração gerou uma grande operação de resgate da Marinha Real Britânica (RN), junto das marinhas da Itália e Estados Unidos. A razão era não deixar que o avião caísse nas mãos russas e chinesas, o que seria um verdadeiro desastre. 

A RN levou duas semanas para achar o caça no fundo do mar e mais uma para tirá-lo da água. A Inglaterra anunciou o resgate bem-sucedido do avião no dia 07 de dezembro, agradecendo a colaboração da Itália e dos EUA na operação. Ainda no final de novembro, um vídeo mostrando o acidente foi vazado na internet, o que levou à subsequente prisão de um marinheiro. 

Continua depois do anúncio

O ZM152 era um dos caças mais novos da frota de F-35 da RAF, entrando em serviço em junho de 2019 observa o The War ZoneEste fato indica uma perda maior para a Inglaterra e suas forças armadas. No entanto, com indicações iniciais aparentemente apontando para erro humano sendo a causa do acidente, o impacto geral nas operações do F-35B provavelmente será limitado.

O ZM152 foi produzido no lote Low-Rate Initial Production (LRIP) 11, estando em um padrão de sistemas mais alto do que os jatos entregues anteriormente. Isso significa que custaria menos e seria mais simples atualizá-lo para o padrão Block 4 no futuro. Com a perda dele, a RAF ficou com 23 F-35B na sua frota.